Últimas Notícias

O que é Síndrome de Burnout

29 de julho de 2022

O que é Síndrome de Burnout

Quando falamos de serviços comuns a sacerdotes e religiosos, como: apostolados, serviços administrativos, formação de casas ou seminários e direção espiritual, se não são integrados para a promoção de uma vida saudável, podem causar a Síndrome de Burnout.

Burnout, vem do inglês: “burn” quer dizer queima e “out” exterior. Segundo o Ministério da Saúde, a Síndrome de Burnout pode acontecer quando o profissional planeja ou é indicado para trabalhos muito difíceis e, por algum motivo, não se sinta capaz de cumprir.

Amplamente conhecido no ambiente corporativo, os sintomas de Burnout, no ambiente religioso, podem ser  confundidos com crises vocacionais. Desse modo, religiosos, superiores, seminaristas, sacerdotes, priores estão suscetíveis aos mesmos sintomas da síndrome. 

A origem desse transtorno está no excesso de trabalho. Obviamente, a oferta de vida e o desejo pelo anúncio do Evangelho expõem muitos a uma rotina desgastante. Além disso, conflitos interpessoais – em especial com autoridades – ou serviços incompatíveis com a própria personalidade e aptidões podem ocasionar a Síndrome de Burnout. 

Entenda melhor os sintomas e possíveis consequências do não tratamento adequado.

Como saber se estou com Burnout?

O desânimo ao começar mais um dia de trabalho ou mesmo uma dor de cabeça constante podem configurar sintomas de Burnout. Além disso, segundo o Ministério da Saúde, os principais sintomas da Síndrome de Burnout são: 

  • Cansaço excessivo, físico e mental;
  • Dor de cabeça frequente;
  • Alterações no apetite;
  • Insônia;
  • Dificuldades de concentração;
  • Sentimentos de fracasso e insegurança;
  • Negatividade constante;
  • Sentimentos de derrota e desesperança;
  • Sentimentos de incompetência;
  • Alterações repentinas de humor;
  • Isolamento;
  • Fadiga;
  • Pressão alta;
  • Dores musculares;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Alteração nos batimentos cardíacos.

Tais sintomas são sinais de alerta, que podem ser constantes ou esporádicos. Contudo, sem a devida atenção e tratamento, podem agravar-se. Sem um bom tratamento terapêutico, o Burnout pode avançar e transformar-se em depressão.

Infelizmente, tem se tornado cada vez mais frequente o quadro de depressão entre religiosos ou sacerdotes. Boa parte deles são provenientes de uma Síndrome de Burnout não identificada. 

Como tratar 

Em se tratando de um ambiente religioso, obviamente o caminho sempre começa com uma boa partilha com as autoridades que, em espírito de caridade fraterna e evangélica, serão suportes para quem sofre. 

É necessário o afastamento das atividades apostólicas e, sobretudo, um período de férias da vida comunitária. Desse modo, o tratamento seguirá com um processo terapêutico e,  dependendo do quadro, com psiquiatra. 

Em geral, não é necessário uso de medicações, porém o médico psiquiatra fará a avaliação adequada. 

É de suma importância que superiores, reitores ou demais autoridades, estejam atentos ao bem estar dos seus subordinados. De modo que, a qualquer suspeita, se tomem as medidas necessárias, para evitar transtornos e demais enfermidades ou até crises vocacionais que culminem no afastamento do religioso. 

Saiba como manter a saúde espiritual, mental, física e emocional. Acesse aqui 

Quando falamos de serviços comuns a sacerdotes e religiosos, como: apostolados, serviços administrativos, formação de casas ou seminários e direção espiritual, se não são integrados para a promoção de uma vida saudável, podem causar a Síndrome de Burnout. Burnout, vem […]