Últimas Notícias

Como a baixa estima pode prejudicar a vivência da vocação ?

31 de julho de 2022

Como a baixa estima pode prejudicar a vivência da vocação ?

O sacerdote é alguém que recebe de Deus uma vocação sobrenatural. No entanto, esse chamado é vivido por um homem de carne e osso, com uma história marcada por conquistas e derrotas, medos e coragem, potenciais e fraquezas. 

De igual modo, a religiosa ou o religioso, são eleitos por Deus, mas são constituídos com vontade, inteligência, afetividade, memória e imaginação como qualquer outro. Porém, com uma vocação tão alta se torna ainda mais necessário um equilíbrio entre corpo, alma e mente. Afim de que suas feridas sejam integradas ao seu chamado e gere frutos de vida nova. 

Dentre essas feridas, a baixa estima pode atingir diretamente o bem estar afetivo e emocional do religioso. As marcas da própria história podem conferir-lhe uma imagem errada sobre si mesmo, negativa, de modo que seu relacionamento fraterno e apostólico fique comprometido. 

Vamos entender melhor. 

A baixa estima na vida comunitária 

A forma como o religioso ou o sacerdote relaciona-se consigo mesmo e com os outros impacta diretamente na sua resposta vocacional. 

Ao longo da história pessoal, somos marcados por lembranças boas ou ruins, por palavras de valorização ou de depreciação. Por isso, com o passar do tempo é possível que o ser humano dê início a processos de bloqueio ou má relação com a imagem que tem de si mesmo. 

Uma criança, por exemplo, que ao longo de sua vida ouviu palavras duras e humilhantes dos seus pais – cuja missão seria a de fortalecer uma justa e boa estima – desenvolverá sentimentos de baixa estima. Tal complexo é alicerçado nas experiências de infância e adolescência que a pessoa vivenciou. 

Sendo assim, ao se relacionar com seus pares, na vida comunitária ou paroquial, tenderá a diminuir-se e, em contraponto, diminuir o outro também. Muitas vezes, por exemplo, atrás de um superior autoritário ou de um sacerdote inseguro está alguém com baixa estima. 

Uma postura comum nessa estrutura psicológica é a falta de esperança acerca de si e de suas próprias capacidades. Frente a um chamado divino, não nos cabe apoiar as forças em suas capacidades, mas na Graça de Deus. Por isso, se o religioso volta-se para si e não tem uma mínima impressão positiva de si, dificilmente dará passos significativos. 

Por outro lado, para perseverar na vida vocacional, é possível que religiosos se agarrem à segurança que cargos e atribuições lhe dão, os impedindo de crescer na caridade.

Para que você ame com liberdade é preciso uma auto imagem adequada. É uma questão de ser feliz.  

O processo de transformação da estima 

Em se tratando de melhorar a estima, ou seja, adquirir autoestima, alguns passos são necessários, visando uma integração da alma, do corpo e do espírito do religioso. 

Primeiro, é importante que o religioso ou sacerdote busque trabalhar com seu diretor espiritual os efeitos da baixa estima na sua vida espiritual, na sua relação com Deus e com a comunidade. 

Depois, se o problema afeta diretamente sua psique, desenvolvendo crises de ansiedade, depressão ou tristeza recorrente, é indispensável que se busque um profissional com um psicólogo ou um psiquiatra, de acordo com a intensidade dos sintomas. Ainda que haja muito preconceito com os tratamentos terapêuticos na vida religiosa e sacerdotal, é importante lembrar que para uma boa saúde psíquica os profissionais podem auxiliar de modo eficiente os principais desafios enfrentados na dimensão mental e psicológica.

Por fim, uma dimensão que não se pode esquecer é o cuidado com o corpo. Muitas vezes a baixa estima tem a ver com a insatisfação com seu próprio corpo e sua saúde fisiológica. Aprenda a dar ouvidos ao seu corpo; o sobrepeso, a falta de força física, as crises de estresse frequentes, podem sinalizar a necessidade de cuidados. Buscar uma alimentação equilibrada, praticar exercícios físicos, podem auxiliar de modo consistente seu processo. 

O sacerdote é alguém que recebe de Deus uma vocação sobrenatural. No entanto, esse chamado é vivido por um homem de carne e osso, com uma história marcada por conquistas e derrotas, medos e coragem, potenciais e fraquezas.  De igual […]