Leigos consagrados reunidos na chácara de Uvaia

Leigos se reúnem para retiro de silêncio em Uvaia

Os leigos consagrados da Copiosa Redenção se reuniram, no final de agosto, na chácara de Uvaia, para um retiro de silêncio onde cada participante foi convidado a viver uma profunda experiência de espiritualidade junto ao carisma da Copiosa Redenção.

Ministrado pela Irmã Neuci, o retiro contou com palestras, orações, dinâmicas e momentos para reflexões, onde os retirantes puderam viver de forma mais intensa o retiro e compreender como é realizado um retiro de silêncio.

Para a Irmã Milene, CR – responsável pelos leigos consagrados da Copiosa Redenção, o retiro foi uma nova proposta de espiritualidade aos leigos e aos vocacionados: “Desejo a todos que participaram que este seja o primeiro de muitos [retiros] e que eles possam a cada dia, experimentar a Copiosa Redenção em suas vidas” – diz.

Imagem com jovens reunidos, junto com os membros da Copiosa Redenção

Volta Livre Soul movimenta chácara de Uvaia no final de semana

Retiro ocorreu no sábado, 27, e foi promovido pela Copiosa Redenção

A chácara Padre Wilton, no distrito de Uvaia, recebeu no último sábado, 27, o retiro “Volta Livre Soul” que contou com a presença de pouco mais de 250 jovens de Ponta Grossa e região.

Com uma temática semelhante ao que já é vivenciado, tradicionalmente, no carnaval, o ‘volta’ trouxe momentos de espiritualidade, louvor, pregação e animação para os jovens que participaram ativamente ao lado dos membros da Copiosa Redenção.

O retiro contou com a pregação dos religiosos, Irmão Higor, Irmão João Paulo, da Madre Tânia, além do idealizador do Projeto Escolhas, Júlio Borges.

Para a Irmã Nayara, CR o retiro foi uma forma de trazer mais sentido da presença de Deus na vida destes jovens: “Foi sensacional, incrível, obrigada a todos que participaram” – agradece

Veja todas as fotos do retiro acessando: https://abre.ai/fotosvoltalivresoul2022

Irmãs da Copiosa Redenção participam de Festa do Divino Pai Eterno

Religiosas já realizam trabalho dentro do Santuário

As Irmãs da Copiosa Redenção marcaram presença durante a Festa do Divino Pai Eterno, em Trindade/GO. As religiosas que atualmente já trabalham no Santuário, puderam estar mais próximas dos devotos do Pai Eterno.

Um estande foi montado durante a festa e lá os devotos puderam conhecer o carisma da Copiosa Redenção. A promotora vocacional, Irmã Nayara, esteve presente, bem como as Irmãs da comunidade Santa Tereza D’Avila, da cidade de Torixoréu/MT.

Durante os 10 dias de evento, mais de 2 milhões de fiéis passaram pela cidade, segundo a Prefeitura.

A FESTA DO DIVINO PAI ETERNO

Celebrada no primeiro domingo do mês de julho de cada ano, a festa do Divino Pai Eterno reúne muitos devotos de várias partes do Brasil e do mundo.

Durante os nove dias que antecedem o evento, são celebradas missas, novenas, encontros com jovens, acolhida e procissão dos carros de boi, foliões, tropeiros, entre outros.

Muitos devotos percorrem a pé o trajeto entre os municípios de Goiânia e Trindade, chegando até o Santuário Basílica, aproximadamente 18 km, como forma de pagar promessas, pedir graças e render agradecimentos pelas bênçãos alcançadas. 

Copiosa Redenção lança podcast “Peregrino na tua vontade”

A partir do dia 01 de agosto, dentro do perfil da Copiosa Redenção no instagram, acontece o podcast “Peregrino na tua vontade”. A ideia do programa é trazer assuntos voltados a vocação, mas de forma leve e descontraída. 

Apresentado pelos religiosos da congregação, a cada semana um convidado diferente, abordando assuntos que vão desde vocação, trabalho e evangelização.

O podcast Peregrino na tua Vontade acontecerá todas as segundas-feiras às 22h no @copiosaredencao no instagram. 

Retiro de silêncio das Irmãs finaliza com missa especial para o Fundador

Padre Wilton, fundador da CR, celebrou 39 anos de vida sacerdotal

O retiro das Irmãs da Copiosa Redenção finalizou no último sábado (16), na chácara de Uvaia, e contou com a participação especial do fundador, Padre Wilton, que celebrou, ao lado de sua congregação, seus 39 anos de vida sacerdotal.

Devido a impossibilidade do fundador e de outras irmãs, a comemoração só pôde ser realizada agora. Além das Irmãs, os Irmãos também se fizeram presente, bem como os noviços que estavam na Itália e retornaram para o Brasil para realizar a segunda parte do noviciado, em terras brasileiras.

Este é o 2º retiro de silêncio voltado para as Irmãs. O primeiro aconteceu em janeiro deste ano. Um terceiro retiro está programado para acontecer no final de novembro.

Vocacional Copiosa Redenção: vamos conhecer!

A Copiosa Redenção nasceu da adoração, quando em 1987, o fundador, durante uma oração de cura e libertação em um retiro em Vitória/ES, presenciou uma jovem depositando um pacote de drogas diante do  Santíssimo Sacramento.

A partir dali, padre Wilton ouviu o chamado de Deus para ele, que é de trabalhar em prol de jovens dependentes. Juntamente com Maria Moreira da Motta Santos, Ruth Marina da Silveira e Ione Strozzi a Copiosa Redenção nasceu no dia 08 de dezembro de 1989.

O Carisma

O Carisma da Copiosa Redenção é também voltado para a misericórdia. A levar para os dependentes químicos que são acolhidos em nossas casas de recuperação e que nunca sentiram o amor de Deus em sua vida. O Carisma não é vivido apenas dentro da Congregação, mas também em nas famílias, quando necessitamos de misericórdia para enfrentar as mais diversas situações.

Discernimento vocacional

Realizamos um acompanhamento vocacional antes das jovens ingressarem em nossa Congregação. Antes de tudo, ouvimos as vocacionadas, onde elas relatam um pouco de sua história e de como elas sentiram a vocação brotar dentro de si. O acompanhamento também inclui a reflexão de textos sobre vocação. Após essa etapa, a jovem vocacionada é convidada a ter uma experiência, que dura em torno de 30 dias, em uma de nossas casas. Neste período, as jovens são ou não admitidas na Congregação.

Etapas Formativas

Aspirantado

É a primeira etapa dentro da Congregação. Aqui as jovens são acompanhadas, orientadas e conhecem um pouco mais sobre o carisma da congregação, além da própria congregação conhecer a vocacionada. Este caminho dura cerca de 1 ano.

Postulantado

A segunda etapa é uma formação mais aprofundada. As vocacionadas são levadas a um caminho de autoconhecimento e de vivência pastoral. Viver o evangelho, doando-se para o outro. Ainda dentro do postulantado, na terceira etapa, as vocacionadas ficam mais próximas ao carisma da congregação, onde elas são direcionadas para trabalhados com os dependentes.

Noviciado

Nesta quarta etapa, que é o noviciado, é realizado o primeiro ano canônico, onde a jovem não desenvolve nenhum tipo de trabalho, fica apenas realizando formação e com os trabalhos da casa. Aqui a vocacionada volta seu olhar para si, onde deve realizar uma vida mais contemplativa, de silêncio e oração. No segundo ano de noviciado, que é a nossa quinta etapa, a jovem é direcionada para nossas comunidades, que podem ser de missão ou terapêuticas, para viverem os trabalhos pastorais.

Juniorato

Aqui são professados os primeiros votos e se inicia a caminhada como juniora, onde realizam seus votos de pobreza, obediência e castidade. Depois de um período, elas realizam os votos perpétuos, que são os votos permanentes.Portanto, a partir dali está a formação permanente e se vive a consagração.

Faça parte você também

Venha você também fazer parte da família Copiosa Redenção. No vocacional feminino ligue para (42) 9 9969 5647, falar com Irmã Égli. Já para o vocacional masculino ligue para (42) 9 9126 0123, falar com Padre Fernando. 

Jovens: perguntas sobre vocação religiosa

Ainda hoje o seguimento radical a Jesus Cristo atrai jovens do mundo inteiro para a vida religiosa. A vivência dos conselhos evangélicos pressupõe uma experiência profunda com o Mestre que continua a chamar “Segue-me Tu!” (Mt 9, 9).

Quando se sente inquietado por Deus, o jovem tende a ficar cheio de dúvidas e medos. Portanto, pensando no seu futuro e em como acontece a vida religiosa. Trouxemos algumas perguntas bem concretas que podem esclarecer esses questionamentos. 

Como os jovens sabem que têm vocação para a vida religiosa? 

O discernimento vocacional é um processo que deve acontecer em oração, caminhando em busca de maturidade humana, intelectual e espiritual, abrindo-se ao autoconhecimento, direção espiritual e conhecimento da congregação.

Inicialmente, acontece o chamado espiritual: os jovens sentem quando Jesus chama para uma vivência mais próxima. Desse modo, busca um lugar para viver esse chamado, geralmente encontrando uma congregação religiosa.

Adiante a identificação a essa ordem tende a se estreitar e amadurecer, culminando na decisão pelo seguimento de Jesus nesse Carisma.

Porém, nesse caminho é importante contar com a proximidade de um religioso mais experiente ou um sacerdote para direção espiritual e acompanhamento vocacional para auxiliá-lo. 

Por que existem tantas congregações religiosas no mundo? 

Os institutos religiosos são basicamente um grupo de pessoas que vivenciam um carisma particular de seguimento a pessoa de Jesus Cristo, pelos votos de pobreza, obediência e castidade. Essa variedade de congregações correspondem a variedade de dons do Espírito Santo (I Cor 12, 4).

Os denominados “carismas fundacionais” são formas de expressar um aspecto da missão de Jesus Cristo a partir de um estilo de vida, espiritualidade e apostolados próprios. Portanto, a Igreja enxerga nessa multiplicidade parte da riqueza espiritual de sua história. Eles são suscitados pelo Espírito Santo de acordo com a necessidade da humanidade. São uma resposta do amor de Deus.

Leia também Grupo de jovens: 5 temas para formação

A vida religiosa supõe o voto de castidade? 

Sim. No que tange às congregações religiosas – uma das formas de vida consagrada na Igreja – o voto de castidade é obrigatório, juntamente com o voto de pobreza e obediência.

Porém existem as ordens terceiras, sociedades de vida apostólicas, movimentos eclesiais e novas comunidades – outras modalidades de vida consagrada – que não possuem o voto de castidade como obrigatório, tendo em vista que muitos dos membros dessas vocações são casados. 

Quanto tempo os jovens vivem para tornar-se um religioso?

Varia de congregação para congregação. Porém, no Código de direito Canônico é pedido como tempo obrigatório o tempo de formação, intitulado Noviciado, que deve ser antecedido de um tempo de preparação, e seguido por um tempo apostólico mais intenso antes da profissão dos primeiros votos.

Depois de sucessivas renovações de consagração, também variável de instituto para instituto, o membro professará seus compromissos perpétuos. 

Como é Encontro vocacional na Copiosa Redenção?

O Encontro Vocacional da Copiosa Redenção servem para despertar a verdadeira vocação dos seus participantes. Sendo assim, são para que compreendam o chamado de Deus e descubram qual o caminho correto a seguir.

Encontro Vocacional da Copiosa Redenção

Na Copiosa Redenção possuímos dois encontros anuais sobre “Discernimento Vocacional”.  Logo, o primeiro ocorre sempre em meados de Julho e outro em Dezembro. Tanto homens quanto mulheres podem participar.

Desse modo, os jovens vocacionados compreendem mais sobre a vida religiosa, sobre a vida do leigo e de outros tipos de expressões vocacionais presentes na Igreja. Pessoas de 15 a 50 anos podem se inscrever para participar desses encontros.

Leia também Conheça 5 tipos de vocações religiosas

No entanto, para os menores de 14 anos, há o pré-aspirantado, que abrange crianças e adolescentes entre 10 a 13 anos. Sendo assim, nessa idade, possuem um encontro todo mês e também realizam dois retiros anuais, que ocorrem no mês de maio e novembro. 

Por sua vez, os vocacionados adultos, possuem um discernimento vocacional um pouco mais detalhado, onde os casos são analisados com maior atenção.

Entre em contato

Venha você também fazer parte da família Copiosa Redenção.

Em primeiro lugar, no vocacional feminino ligue para (42) 9 9969 5647, falar com Irmã Égli. Porém, para o vocacional masculino ligue para (42) 9 9126 0123, falar com Padre Fernando. 

Conheça 5 tipos de vocações religiosas

Chama-se vocações religiosas institutos que vivem o seguimento radical a Jesus Cristo. Sendo assim, professam votos de pobreza, obediência e castidade – chamados de Conselhos Evangélicos.

A história da Igreja é repleta de ordens e congregações que, com um carisma próprio, revelam um mistério da vida de Jesus Cristo. Por isso, essas experiências remontam às mais belas histórias da vida cristã e as mais altas aventuras dos santos. 

Sendo assim, elencamos 5 vocações religiosas para exemplificar a grandeza destas vocações para todo o povo de Deus.

1 – Vocações Religiosas Franciscanas

Era o início do século XIII quando, na pacata cidade de Assis, um jovem filho de comerciantessonhava ser um cavaleiro das cruzadas. No entanto, deixa todos os seus bens e opta viver radicalmente uma vida austera e desprendida como a dos apóstolos. Estamos falando de Francisco de Assis.

A seu testemunho de radicalidade e santidade seguiram outros jovens ricos e valorosos da cidade. Por sua vez, Assis se tornaria um dos santuários mais visitados do mundo. Afinal, ainda hoje escutam o grito do poverello – pobrezinho, em italiano de Assis: “O Amor não é amado!” 

Desse modo, a aventura de Francisco tomou forma e se tornou a ordem franciscana. Em sua regra, está sua base da vida: “observar o santo evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo, vivendo em obediência, sem nada de nós mesmos, e em castidade”.

No entanto, com o passar dos anos, surgiram na história inúmeras vocações religiosas ligadas a espiritualidade de São Francisco. Porém, originalmente fundada por ele foi a ordem franciscana menor. Contudo, depois surgiram as ordens capuchinha e a ordem franciscana conventual. 

2 – Clarissas

No seguimento a Francisco, logo no primeiro momento, esteve Clara de Assis, filha de nobres assisienses. Clara surpreendeu a todos trocando a vida de luxo e nobreza, que a esperava, por vestes pobres. Assim, viveu em constante serviço ao lado de Francisco, em vista dos leprosos de Assis que eram expulsos da cidade como impuros. Depois de um tempo de discernimento, Clara fecha-se em clausura e dedica sua vida a trabalhos simples e a contemplação. 

A oferta de Clara tornou-se tão fecunda quanto a de Francisco. Por isso, outras moças nobres de Assis deixaram suas riquezas para seguirem ao esposo Jesus, dando início a ordem das Clarissas. Desse modo – também conhecida por segunda ordem franciscana – tivera a própria Santa Clara como modelo e abadessa. 

No estilo de vida, prezam os mesmos princípios de pobreza, obediência e castidade, além de viverem em clausura. Segundo o site Poor Clare Sisters, atualmente, existem mais de 70 mil clarissas, em cerca de 70 países em todo o mundo. 

Leia também Oração: um trato de amizade com Deus

3 – Jesuítas

Uma das ordens mais importantes e conhecidas do mundo, os jesuítas são a Companhia de Jesus. Por sua vez, fundada por Santo Inácio de Loyola, a qual pertence o atual pontífice romano, o Papa Francisco.  

Inácio era um nobre espanhol que sentiu no coração um grande chamado ao seguimento radical a Jesus. Em meio a sua conversão, entendeu que Deus o chamava a formar um verdadeiro exército. Sendo assim, repletos de soldados de Cristo,com as armas da caridade e da sabedoria ensinariam o Evangelho aos quatro cantos do mundo.

Por sua vez, 7 outros irmãos, chamados de co-fundadores – entre eles São Francisco Xavier e São Pedro Fabro – professaram, além dos tradicionais votos religiosos de pobreza, castidade e obediência, um “quarto voto” que reforça o voto de obediência, especificamente em relação à sua missão mundial. Por isso, esse quarto voto diz respeito a obediência que devem ao papa, a quem se obrigam a nunca dizer “não”. 

Entre as atividades apostólicas dos jesuítas estão a difusão da espiritualidade inaciana, a missão “ad gentes” – do latim, a todos povos-, além do campo da educação, que lhes é muito particular. 

4 – Carmelitas

Data a ser a ordem mais antiga da Igreja. A Ordem do Carmo nasceu há 800 anos, no Monte Carmelo. Seu espírito está caracterizado por dois elementos: sua origem em Santo Elias, e sua dedicação a Maria. Segundo suas constituições, “o principal objetivo da ordem do Carmelo é amar a Deus e viver na presença dele. A este objetivo conduzem o silêncio, a solidão, o retiro e o afastamento das coisas mundanas, a oração contínua e a meditação das verdades eternas”.  

Os carmelitas procuram responder às necessidades da Igreja e do mundo, que diferem conforme o tempo e o lugar. Desse modo, muitos frades trabalham em paróquias, escolas, universidades, penitenciárias, hospitais, etc, não tendo de modo efetivo um apostolado único para a congregação, diferente dos marista que se dedicam prioritariamente a educação dos jovens, por exemplo. 

5 – Copiosa Redenção

Com um forte chamado a ser luz na vida das pessoas que se encontram em um profundo processo de destruição, em especial nas drogas, o carisma Copiosa Redenção teve início com o padre Wilton Moraes Lopes, em 1987. A família religiosa porém nasce do sim generoso de Maria Moreira da Motta Santos, Ruth Marina da Silveira e Ione Strozzi, as primeiras irmãs Copiosa Redenção. 

Alguns traços definem os chamados a esta vocação: a adoração, o apostolado com os dependentes químicos, a obediência radical, o espírito de humildade, o silêncio, a devoção a Nossa Senhora, o amor ao trabalho, o desapego, o amor a Santa Missa e ao sacramento da confissão. 

.

Como ser um padre da Copiosa Redenção?

A vocação sacerdotal  é um chamado de Deus. O padre da Copiosa Redenção é, portanto, um vocacionado. Desse modo, é Jesus quem escolhe o rumo dos seus, pois assim como diz em João 15,16: “Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda.” 

Ser um sacerdote requer muito discernimento e preparação. Além disso, o sacerdócio é um peso imponderável da Redenção, onde se há felicidade pessoal e eterna do homem para seus irmãos.

Portanto, um padre da Copiosa Redenção passa por algumas etapas, antes de chegar ao sacramento do sacerdócio, são eles:

Aspirantado

É o ano inicial em que o vocacionado conhece a comunidade e se torna conhecido por ela. Por isso, recebe as formações necessárias sobre como se ter uma boa vida comunitária, de fé e costumes religiosos. Portanto, o jovem permanecesse por 1 ano ou – se julgar necessário – no máximo 2 anos.

Postulantado

Além dos estudos acadêmicos de filosofia, esses jovens passam por formações próprias da Congregação, que são formações humanas, espirituais e aprendem o trabalho com os dependentes químicos, além da adoração ao Santíssimo Sacramento. O vocacionado permanecesse nesta etapa por quatro anos. No último ano de Postulando, o jovem se prepara para receber o hábito religioso, onde dali parte para a Itália e realiza o ano canônico de noviciado.

Noviciado do padre da Copiosa Redenção

Neste período o vocacionado segue para a cidade de Mossomelli, na Itália, onde faz sua experiência vocacional. No segundo ano, volta ao Brasil para a cidade de Presidente Médici, em Rondônia. É nesta cidade que acontece o conhecimento da vida pastoral. No final deste processo, faz os votos de pobreza, castidade e obediência, seguindo a regra de vida da comunidade.

Juniorato

No Juniorato, o religioso recém professado deve viver as promessas simples que são renovadas anualmente e fazer os estudos teológicos para poder chegar ao sacerdócio. Se for a vocação do religioso e a intenção da comunidade, esse pode se tornar sacerdote. Por fim vem a ordenação diaconal e depois sacerdotal.