Como saber qual melhor lar de idosos?

Escolher um lar de idosos para os pais ou avós envelhecerem é uma decisão difícil para a maioria das famílias. Exige atenção e cuidado, é preciso lidar com muitas informações e ter também um olhar crítico para entender se aquele lugar vai, de fato, cuidar e acolher a pessoa idosa como ela merece. 

E todo esse processo, muitas vezes, ainda é vivido com o coração apertado de culpa, como se a decisão de colocar os pais ou avós em uma casa de repouso fosse abandono.

Por isso, antes de tomar essa decisão importante e bater o martelo sobre um lar de idosos, queremos que você leia algumas dicas. 

O que é e para que serve um lar de idosos?

Antes, é preciso contextualizar e explicar qual o objetivo de uma casa de repouso.

Um lar de idosos é uma casa que acolhe pessoas da terceira idade, oferecendo um atendimento personalizado. Além disso, conta com profissionais capacitados e especializados disponíveis 100% do tempo.

Há também refeições balanceadas e controladas por um nutricionista, atividades físicas, momentos de lazer e tempo com a família. Geralmente um lar de idosos faz o que está ao seu alcance para deixar o espaço o mais agradável possível, colocando lembranças de casa, como fotos, oferecendo carinho e amor.

A ideia é que o idoso sinta que está em casa, seguro, bem-cuidado e confortável. Além disso, ele precisa se sentir feliz, amado e livre.

Então, como sei qual o melhor lar de idosos?

Para saber se um lugar é bom o bastante para você hospedar o seu parente idoso, ele precisa garantir tudo o que foi citado anteriormente. Alguns lugares têm programas e atividades diferentes, espaços mais amplos, mais luxo ou simplicidade. Mas o importante mesmo é avaliar como ele trata e acolhe o idoso e se oferece uma equipe qualificada.

Além disso, um bom lar de idosos precisa garantir autonomia e respeito ao idoso, pois isso traz outros benefícios, como a qualidade de vida. 

Observe alguns pontos como:

  • Quem são os profissionais que fazem parte do lar? São formados, qualificados e possuem a sensibilidade necessária?;
  • Avalie a estrutura e se possui segurança, corrimão, iluminação, pisos adequados, barras no banheiro e outros itens importantes;
  • Como são preparados os alimentos? Há uma alimentação balanceada e colorida, suprindo as necessidades dos idosos?;
  • Esse lar pode oferecer atendimento médico se o idoso precisar? Como é a enfermaria?;
  • E as atividades físicas e a fisioterapia? Como é o trabalho dessa instituição nessa área? Os idosos precisam muito se movimentar e se exercitar, especialmente porque nessa idade muitos sofrem com problemas nos ossos ou fraqueza nos músculos;
  • E há preocupação com as atividades de lazer? Os idosos precisam muito de momentos de diversão e descontração que trabalhem a autonomia, a criatividade e o pensamento lógico;
  • Os familiares podem visitar em qualquer momento? Se não, porquê?; 
  • A individualidade do idoso é respeitada?  Inclusive, é importante questionar até se a vida de fé e a religião serão respeitadas e incentivadas;

Muitos outros pontos também são fundamentais nesta pesquisa, como, por exemplo, se o seu familiar tem alguma doença e precisa de um cuidado especial, questione sobre isso. 

Lembre-se que não é abandono

O número de idosos no Brasil aumentou muito nos últimos anos e a tendência é que continue em crescimento. Segundo o IBGE, a proporção de pessoas acima dos 60 anos cresceu de 11,3% para 14,7% entre 2012 e 2021. Portanto, hoje são 31,2 milhões de idosos no país. Enquanto isso, a população jovem diminuiu consideravelmente. 

Com esse aumento tão expressivo é difícil cuidar de todos os idosos sem nenhuma ajuda ou apoio, muitas vezes precisamos ser humildes e aceitar a necessidade de um auxílio. 

Sem falar que, infelizmente, grande parte das pessoas na terceira idade dependem de cuidados especiais, pois possuem doenças e, mais uma vez, podemos não dar conta dessa demanda sozinhos.

Por isso, precisamos procurar o apoio de um lar de idosos. Um espaço confiável e seguro para hospedarmos nossos familiares idosos com a certeza de que serão amados e bem cuidados. Isso não é abandono, é bondade e responsabilidade. 

Portanto, faça sua parte de compreender as necessidades da pessoa idosa e de procurar com sabedoria e atenção um bom lar. Siga as orientações deste artigo e pesquise com paciência, assim certamente você saberá qual o melhor quando encontrar.

Leia também Quando é hora de optar por casa de repouso?

Esse artigo foi útil para você? Compartilhe nas suas redes sociais.

Como corresponder à vocação na terceira idade

Viver com alegria a vocação na terceira idade é sinônimo de profunda fidelidade e amor genuíno por Deus. Ao sermos chamados para uma vocação específica e dizermos “sim”, também precisamos ter a consciência de sermos fiéis a ela até o fim.

Ser um religioso(a) idoso é uma missão muito bonita, embora também seja exigente. No entanto, seguir esse compromisso com amor reflete obediência, respeito e dedicação. Sendo essas virtudes muito valorizadas por Deus.

A vida dos religiosos idosos é preciosa e ensina muito para os jovens. Além disso, rende bons frutos no cotidiano da comunidade, da Igreja, da ordem ou de onde quer que ele esteja. 

O Papa Francisco ressaltou essa importância em sua carta especial para o Dia dos Avós. Na mensagem, ele diz que “envelhecer não é apenas a deterioração natural do corpo ou a passagem inevitável do tempo, mas também o dom duma vida longa. Envelhecer não é uma condenação, mas uma bênção!”. 

Compreender qual a bênção que o Papa fala é também discernir como continuar vivendo a vocação na terceira idade. Como, ainda que cansado e um tanto debilitado pela idade, esse religioso(a) pode permanecer sendo sal e luz na terra, evangelizando e amando os irmãos?

A vocação na terceira idade e a preciosidade da sensibilidade

Os idosos que muito já conheceram e viveram, possuem uma sensibilidade para lidar com os outros. Eles podem aconselhar, acolher e amparar de uma maneira única e especial. 

Nas comunidades religiosas essas características são fundamentais. Pois os idosos lembram aos jovens o que é importante na vida e como viver isso por anos e anos. Ou seja, como combater o cansaço e o desânimo, ser fiel no compromisso e nas ordens de Deus. 

Leia mais: Como garantir o envelhecimento e a saúde da pessoa idosa

Leia mais: Lar Adelaide Weiss Scarpa: qualidade de vida para pessoas idosas

Além disso, a sabedoria do idoso que já passou por momentos de provação pode ser uma boa dose de calmaria e ensinamentos sobre abandono e confiança em Deus. 

A palavra de um ancião deve ser respeitada. Assim como o idoso precisa saber o que diz e como age. Afinal, suas ações têm um peso muito grande na vida dos que o cercam. 

Jamais deixar de cultivar a espiritualidade

Ser sensível, amar, partilhar conhecimentos, acolher e ser fiel a Deus, certamente, são passos fundamentais para responder à vocação na terceira idade. Mas nada será concreto ou bem-vivido se o idoso chegar em uma certa idade e acreditar que chegou no nível máximo da espiritualidade, que não precisa mais alimentar e cultivar a fé. 

Uma vocação precisa ser conservada e alimentada constantemente através da oração.

A vocação religiosa na terceira idade é um tempo de acolher novos vocacionados, de ensinar o serviço, mas também de intensificar as orações, de rezar pelas novas vocações e pela própria alma. 

Em contrapartida, viver a vocação na terceira idade também é ser testemunha de Cristo, é continuar levando a Sua Palavra onde conseguir e como conseguir. 

O Cardeal Dom José Tolentino Mendonça possui um escrito muito bonito sobre o significado de ser idoso e um dos parágrafos diz que “ser idoso é fazer mais com menos: saber que só se pode contar na força de uma mão ou no apoio de uma única perna, mas mesmo assim insistir e continuar.” 

Essa citação encaixa-se bem na vida de um religioso na terceira idade, pois, mesmo que tenha chegado na velhice e que seus passos sejam mais lentos, seu compromisso e fidelidade com Deus devem permanecer os mesmos. 

Por fim…

Queremos ressaltar o quanto a vida de um religioso(a) idoso é preciosa e o quanto essas vidas dedicadas a Deus devem inspirar novos vocacionados. São grandes exemplos de fidelidade ao serviço do Reino de Deus.

Em suma, nós nos alegramos por tantos idosos que seguem sua vocação com amor até serem chamados à vida eterna. Certamente todos são inspiração para outros religiosos!

Quais os cuidados com a saúde necessários para a pessoa idosa?

Envelhecer é uma verdadeira bênção. No entanto, uma vida longa exige uma atenção especial, sobretudo com o bem-estar e a qualidade de vida. Quem tem um idoso em casa conhece a necessidade dos cuidados com a saúde dessa pessoa.

Na mensagem para o Dia dos Avós de 2022, o Papa Francisco nos fala sobre os idosos darem fruto mesmo na velhice e o quanto suas vidas importam. O pontífice diz que “os idosos não são proscritos de quem se deve estar à larga, mas sinais vivos da benevolência de Deus que efunde a vida em abundância”.

Ou seja, são vidas valiosas e a terceira idade é um tempo precioso, de graças e ensinamentos para eles e para quem está perto. No entanto, a velhice precisa ser vivida com qualidade de vida, bem-estar e alegria. 

Logo, o primeiro passo para oferecer tudo isso é cuidando da saúde, atendendo as necessidades e valorizando as particularidades de cada um. Há algumas maneiras de fazer isso de forma mais prática. 

A importância dos cuidados com a saúde do idoso

Nós sabemos que com o passar dos anos vamos ficando mais vulneráveis e nossa saúde vai se degradando. Nosso corpo e nossa mente se enfraquecem. Caminhos que antes eram percorridos em 2 minutos, agora precisam de 5, além de muitas outras mudanças que vão acontecendo em nossa vida e em nosso corpo. 

Porém, apesar de comum, podemos fazer com que isso seja minimizado. É possível que a pessoa viva a terceira idade com saúde, alegria, disposição e que esse realmente seja um tempo de muitos frutos, como nos lembra o Papa Francisco. 

Portanto, é tão importante darmos a devida atenção para esse assunto. A seguir queremos sugerir alguns cuidados que podem transformar a terceira idade do seu parente idoso. 

Respeite a individualidade do idoso

Nós sabemos que quando uma pessoa envelhece ela precisa de cuidados especiais, de atenção e quase de um segurança 24h. No entanto, a superproteção pode prejudicar a saúde emocional do idoso.

Imagine só, você trabalhou durante anos, foi responsável por uma casa, uma família e deu conta de tudo. E, então, de uma hora para a outra, alguém não te deixa mais tomar suas decisões, nem fazer algo que você costumava fazer diariamente e suas decisões e vontades não são mais respeitadas. É um choque, não é mesmo?

Pois é, os idosos se sentem frustrados com isso e não é à toa. Portanto, respeite os seus avós, pais ou tios. Permita que eles realizem coisas e valorize suas opiniões, incentive as ações. Ainda que precise de mais atenção e cuidado, eles merecem isso. 

Os cuidados com a saúde: corpo e mente

A alimentação balanceada, a prática de atividades físicas e o cuidado com a saúde mental são essenciais em qualquer fase da vida, especialmente na velhice. 

São áreas que não podemos ignorar, pois tudo fica mais frágil nessa época. Então, incentive que a pessoa idosa da sua família se movimente, faça consultas regulares com médicos e cuide da saúde mental.

Nessa idade, os sintomas de doenças mentais podem ser facilmente confundidos com tristeza do dia a dia, cansaço ou apenas um sintoma da velhice. Esteja atento, cuide com mudanças de humor e com pensamentos negativos. 

Os laços sociais e a presença da família

É na terceira idade que o sentimento de solidão se torna mais forte e frequente. Especialmente porque muitos idosos se isolam e não mantêm mais nenhum tipo de interação social, não saem de casa, não vão à igreja, ficam sem amigos e a família está sempre ocupada demais com as obrigações.

O problema é que a solidão pode ser prejudicial para a saúde dos idosos, principalmente para aqueles que estão com sua mobilidade deteriorada.

Para cuidar disso, reserve sempre um tempo para fazer com que esse idoso se sinta querido e amado. Converse com ele e, se possível, leve-o para passear, incentive as amizades. Uma alternativa é procurar clubes de idosos, assim ele pode conviver com outras pessoas que estão passando pelo mesmo.

Espiritualidade também é um cuidado com a saúde

É comprovado que um idoso com fé e uma espiritualidade viva e fortalecida passa pela velhice de forma mais saudável e tranquila. 

Portanto, incentive a oração, a participação nas Missas e encontros da Igreja. Os idosos com fé e Deus no coração podem fazer uma revolução da ternura no mundo, como diz o Papa Francisco em sua mensagem do Dia dos Avós.

Mantenha os idosos em segurança

É importante que os idosos estejam seguros. Ou seja, que eles possam andar pela casa sem perigo de cair e se machucar. Mas estar seguro também é se sentir confortável em casa, em meio às pessoas, ter carinho, ter cuidado e amor.

Caso a segurança do idoso esteja em risco, talvez seja a hora de pensar em levá-lo para outro lugar, como um Lar onde ele possa receber todos os cuidados para a sua saúde e bem-estar. 

Por fim…

Para concluir, queremos salientar que ser saudável não diz respeito apenas a ausência de doenças, mas trata-se também do equilíbrio entre saúde física, mental e social. Por isso, todos esses pontos apresentados são tão fundamentais e merecem atenção.

Valorize o seu familiar idoso, coloque em prática os cuidados com a saúde dele e ofereça o melhor que você puder. Aprofunde-se mais nesse cuidado e atenção lendo outros artigos em nosso site.

Lar Adelaide Weiss Scarpa: qualidade de vida para pessoas idosas

A velhice para quem está vivo é algo concreto, vai acontecer. A única questão é se a qualidade de vida para pessoas idosas será uma consequência ou não. 

E, atualmente, a estimativa é que a vida seja cada vez mais longa, ainda que, infelizmente, isso não signifique que seja saudável também. Em 2019, o Brasil possuía 28 milhões de pessoas acima dos 60 anos, mas, segundo o IBGE, este número deve dobrar nos próximos anos.

Porém, infelizmente, alguns idosos não chegam nessa idade com qualidade de vida, bem-estar ou saúde física e mental. Por isso, para muitas pessoas essa época da vida pode parecer assustadora. O número de idosos em vulnerabilidade ou com doenças crônicas é grande.

No entanto, a vida dos idosos é valiosa e a velhice pode ser uma época maravilhosa, feliz e cheia de bons momentos, sem doenças ou tristezas. Portanto, precisamos encontrar as melhores maneiras de garantir a qualidade de vida para pessoas idosas. 

Qualidade de vida para pessoas idosas

O primeiro passo para garantir qualidade de vida para pessoas idosas é entender o seu conceito. 

O médico geriatra e diretor científico da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), Renato Bandeira de Mello, define a qualidade de vida sendo  algo subjetivo e que depende da percepção do indivíduo sobre o que é felicidade.

Ou seja, possuir qualidade de vida está relacionado ao que gera alegria. Portanto, em termos gerais, pode ser uma atividade física, viver bons momentos, ter amigos, ficar com a família, ir para a igreja, ter vida de oração e pertencer a uma comunidade ou a algum lugar. Geralmente, na velhice, a qualidade de vida está associada a uma vida ativa. 

Na maioria das vezes, subestimamos a importância da autonomia, mas ela também está altamente ligada ao sentimento de bem-estar e realização pessoal. Logo, também contribui profundamente para a qualidade de vida.

Velhice feliz e saudável 

Geralmente a velhice é relacionada a momentos difíceis, dores, sofrimentos e abandono. Em algumas realidades, os idosos são vistos como quem já viveu tudo, aproveitou a vida e são quase como um material a ser descartado. 

O Papa Francisco em uma catequese sobre a velhice falou sobre essa cultura do descartável e ressaltou que os idosos são uma benção para a sociedade: “não nos esqueçamos que tanto na cultura familiar quanto na social, os idosos são como as raízes da árvore: eles têm toda a história ali, e os jovens são como flores e frutos”, comparou.

“Tudo o que há de bonito numa sociedade está relacionado às raízes dos idosos.”, concluiu o Santo Padre.

Portanto, precisamos nadar contra a maré e defender a qualidade de vida para pessoas idosas. A velhice feliz e saudável é possível e pode ser uma realidade. Mas como fazemos isso?

Um idoso bem-assistido e bem-acolhido é um idoso feliz

Ser amado, acolhido e ter suas vontades respeitadas integralmente são princípios básicos para a qualidade de vida na terceira idade, mas, na maioria das vezes, só é possível oferecer e garantir isso em um lugar específico, preparado e equipado. 

Estar em um local que respeita as particularidades de cada um, que promove atividades de lazer e oferece a cada idoso a experiência de passar pelo imenso mar de amor e misericórdia de Deus, certamente são maneiras de fazer com que a pessoa idosa tenha qualidade de vida.

Imagina esses princípios, aliado ainda a profissionais responsáveis e qualificados, ambientes exclusivos e totalmente preparados para atender as necessidades do idoso e claro, pessoas amorosas, gentis, preocupadas e com o coração cheio do amor de Deus. 

Lar Adelaide Weiss Scarpa oferece qualidade de vida para pessoas idosas

O Lar Adelaide Weiss Scarpa acolhe idosos acima de 60 anos e oferece a calmaria de envelhecer com amor, alegria e a misericórdia de Deus. Todos os hóspedes – como são carinhosamente chamados os idosos – são respeitados e queridos. 

O propósito do Lar é ser uma casa pensada e planejada para receber pessoas idosas. E para que eles se sintam verdadeiramente em casa, os familiares são incentivados a trazer sempre fotos e objetos pessoais dos idosos para decorar o quarto. 

Há muitos valores e princípios no Lar Adelaide, questões que acreditamos contribuir imensamente para a qualidade de vida do idoso e para uma velhice feliz e tranquila. 

Trabalhamos constantemente para oferecer o melhor para eles, para fazer com que se sintam amados e queridos. Assim como realizamos atitudes concretas para isso e para contribuir com a saúde física deles, como atividades físicas e alimentação balanceada. 

Aqui, com toda certeza, o seu familiar idoso terá qualidade de vida garantida! Entre em contato e agende uma visita.

Quando é hora de optar por casa de repouso?

Colocar um idoso, especialmente aqueles próximos de nós, em uma casa de repouso não tende a ser uma decisão fácil. Principalmente porque, em muitos casos, há o sentimento de que se está abandonando essa pessoa. No entanto, essa pode ser a melhor decisão considerando o bem-estar e a qualidade de vida da pessoa idosa. 

Afinal de contas, quando um familiar querido atinge a terceira idade, as exigências de cuidado e atenção triplicam e é necessária uma dedicação muito maior para eles. Algo que em casa podemos acabar falhando. 

Portanto, essa pode ser a hora de recorrer a uma casa de repouso sem culpa, lembrando sempre de procurar com responsabilidade. 

Há lugares que cuidam e acolhem os idosos com o mesmo amor que eles teriam em casa, mas além do carinho e respeito, eles também terão um atendimento profissional, com médicos, fisioterapia, alimentação adequada e a possibilidade de conviver e construir relacionamentos com outras pessoas da mesma idade. 

Mesmo sabendo disso e de que pode ser a melhor solução, você ainda não sabe se é a hora certa? Tudo bem, podemos chegar a uma conclusão até o final do texto. Continue a leitura! 

O que é uma casa de repouso?

Antes de começar a avaliar todas as questões, precisamos desmistificar de vez a ideia de que casa de repouso é um lugar de abandono. 

A casa de repouso é um lugar de convivência, conforto e cuidado para o idoso. Geralmente, as famílias procuram esses locais quando não conseguem mais atender todas as necessidades dos idosos em casa. 

Esses locais servem para oferecer o melhor para o idoso durante sua estada. A maioria tem médicos, espaços de recreação, atividades de lazer, exercícios físicos, nutricionistas, enfermeiros, espaços confortáveis, bonitos e aconchegantes. 

A família investe um valor, mas tem a certeza de que seu familiar está sendo bem cuidado e sabe que pode visitar sempre que quiser.

CONHEÇA O LAR ADELAIDE 

O primeiro passo é avaliar a sanidade

Avaliar a sanidade da pessoa idosa pode ajudar de algumas maneiras. A primeira é observar se você pode manter ele em casa com segurança, pois se a pessoa tiver sã é mais fácil de cuidar. Além disso, você sentirá que pode confiar que ele não fará nada que o coloque em risco, por exemplo.

Por outro lado, uma pessoa consciente e sã pode ajudá-lo a tomar essa decisão. Compartilhe com ele sua ideia de uma casa de repouso, pergunte a opinião dele, apresente as opções e benefícios. E não esqueça de deixar claro que isso não será abandono, que você irá visitá-lo regularmente. 

Leia mais: Será que meu parente idoso precisa de ajuda psicológica? (texto ainda sem publicação, por isso está sem link)

No começo, a ideia pode até assustar e fazê-lo ficar na defensiva, mas com o tempo, paciência e as palavras certas, ele mesmo pode perceber que essa é a melhor opção.

A casa de repouso oferece aquilo que o idoso precisa 

Ainda que a saúde mental do seu familiar idoso esteja em ótimas condições, ele pode precisar de outros cuidados, como uma alimentação balanceada, controle dos remédios, exercício físico personalizado, atendimento médico regular. 

Enfim, necessidades que em casa pode ser difícil de atender adequadamente por conta das outras obrigações. Portanto, esses sinais também são importantes na hora de observar se é a hora de optar por uma casa de repouso.

Esses lugares são totalmente dedicados para atender essas necessidades, os idosos serão bem cuidados e amados. Os remédios são dados por enfermeiros e cuidadores que terão atenção máxima aos horários. 

Além disso, há fisioterapeutas, médicos, nutricionistas à disposição! 

Um cuidador de idoso não é mais o suficiente

Outro ponto que você pode colocar em questionamento nessa situação é “mas um cuidador de idoso não seria o suficiente?”. O cuidador poderia se ocupar com os remédios, acompanhar na fisioterapia e nas consultas médicas, ajudar nas necessidades básicas ou essenciais, cuidar da alimentação e enfim. 

Nesse tópico, a decisão deve ser considerada baseada nas necessidades do idoso e na particularidade de cada um. Observar onde você mais precisa de ajuda. 

Porém, veja bem, ao optar por um cuidador que atenda da mesma maneira que uma casa de repouso por 24 horas, vai precisar de, pelo menos, 4 pessoas. Também é necessário considerar os outros investimentos que ainda precisam partir de você, como profissionais da saúde, remédios, academia, atividades de lazer. 

Se você avaliou com bastante responsabilidade esses três pontos, chegou a uma conclusão e está perto de decidir se é a hora certa de optar por uma casa de repouso. 

Leia mais: Como garantir o envelhecimento e saúde da pessoa idosa?

Porém, lembre-se de tirar os pesos de seus ombros ao pensar que se está abandonando seu familiar idoso. Esse é um dos passos essenciais da tomada de decisão. Se você escolher com amor, atenção e bom-senso, certamente fará o melhor para o seu familiar idoso. Além disso, faça visitas às casas de repouso e observe com atenção como eles cuidam dos seus hóspedes.

Esse artigo foi útil para você? Compartilhe em suas redes sociais.

Como garantir o envelhecimento e saúde da pessoa idosa?

Um feliz envelhecimento e a saúde da pessoa idosa são direitos de todas as pessoas da terceira idade. Atualmente muitas pesquisas, estudos e programas sociais são feitos para garantir que os idosos tenham qualidade de vida. 

A realidade é que o mundo está envelhecendo e de maneira muito rápida. O Ministério da Saúde comprova essa afirmação e ainda estima que no Brasil existam, atualmente, cerca de 17,6 milhões de idosos. Além disso, a previsão é de que em 2050 haja 2 bilhões de idosos.

Embora a velhice seja um trunfo e algo a se comemorar, muitas vezes ela vem acompanhada de doenças crônicas que causam sofrimento e, infelizmente, em idades mais avançadas, o tratamento se torna muito sofrido ou inviável. 

Portanto, para garantir o bom envelhecimento e a saúde da pessoa idosa, é necessário adotar algumas atitudes. A própria Organização Mundial da Saúde possui algumas medidas que ajudam nessa missão. 

Importância de garantir o bom envelhecimento e a saúde da pessoa idosa 

O primeiro ponto da necessidade de garantir uma velhice saudável e feliz é que isso contribui para a própria qualidade de vida do idoso. Mas também é benéfico para a família da pessoa idosa e toda a comunidade. Afinal, idosos possuem conhecimentos e características que são muito importantes. 

A Organização Mundial da Saúde diz que “o envelhecimento saudável é um processo contínuo de otimização da habilidade funcional e de oportunidades para manter e melhorar a saúde física e mental, promovendo independência e qualidade de vida ao longo da vida”. 

Ou seja, uma terceira idade bem e saudável prevê medidas que contribuam com esse processo de envelhecimento. Falando parece que essas medidas estão muito longe da nossa realidade, mas na verdade são atitudes acessíveis que estão disponíveis para todos!

Melhore a mobilidade e a vitalidade

Se movimentar, ter energia e vontade de viver são princípios primordiais para uma velhice saudável e feliz. Portanto, para buscar essas duas características, precisamos incentivar os nossos idosos à prática de exercícios físicos, por exemplo.

Além disso, também é importante investir em alimentos ricos em cálcio, vitaminas e proteínas. Se só a alimentação não bastar, pode ter como opção banhos de sol ou suplementação. 

É válido lembrar que tanto a alimentação balanceada quanto a prática regular de exercícios físicos precisam ser orientados por profissionais especializados, senão podem prejudicar mais do que ajudar. 

Preocupe-se com a visão e a audição

Muitas pessoas, quando começam a envelhecer, ignoram a perda da visão e da audição, consideram um efeito da velhice. Podem até estar certas, no entanto, com a tecnologia e o desenvolvimento que temos hoje, há métodos que podem prevenir essas condições.

Além disso, a cegueira e a surdez são doenças, frutos da diabetes ou outras infecções, que são tratáveis. 

Se queremos garantir o bom envelhecimento e saúde da pessoa idosa, também precisamos estar atentos a essas questões. Pois, com essas funções fundamentais, fica mais fácil ter disposição para viver e curtir a famosa “melhor idade”. 

Evite as quedas

Na velhice um tombo pode se tornar algo extremamente prejudicial .Algumas vezes pode resultar até em fraturas graves, onde há casos, inclusive, de idosos que morreram por causa de uma queda.

Por isso, devemos ficar sempre em alerta e evitar tudo aquilo que possa causar uma queda, como tapetes, escadas, móveis soltos caso o idoso acabe por se apoiar neles.

Outra boa maneira de evitar quedas é voltando ao primeiro tópico e fortalecendo a musculatura e o corpo por meio de atividades físicas.

Cuide da saúde mental

Assim como o corpo, a mente de um idoso também precisa ser cuidada e amparada para garantir um envelhecimento saudável. Nesse quesito entram situações como a demência, mas também a ansiedade e a depressão, que são bem comuns na pessoa idosa.

Por serem consideradas comuns em idosos, as doenças mentais acabam por ser confundidas como algo natural da idade vindo a ser ignoradas. É muito importante observar o idoso, se ele costumava ser uma pessoa agitada, ou animada e de repente se tornou cabisbaixo, desanimado, passa mais tempo deitado e dormindo do que em pé, o melhor a se fazer é investigar o motivo da mudança.

Algo que pode contribuir positivamente nessas situações, além da ajuda especializada, é manter o idoso em atividades de seu interesse. Pastoral do Idoso, grupos de atividades ou algumas oficinas, como a de pintura, por exemplo, são boas maneiras de incentivá-los. É importante também o contato social, sendo essencial manter as amizades e os relacionamentos fora do ambiente familiar. 

A espiritualidade também importa para o envelhecimento e saúde da pessoa idosa

A espiritualidade raramente é discutida quando se pensa em medidas para garantir o envelhecimento e saúde da pessoa idosa, porém está relacionada, sim.

Quando um idoso fortalece a sua espiritualidade e busca o dom da piedade, ou seja, unido a Deus, sua velhice se torna muito mais tranquila. Ele consegue encontrar propósito e viver com amor e alegria. 

Por isso, devemos, sim, incentivar que o idoso pertença a alguma comunidade, participe da missa e receba a Eucaristia. Certamente, isso só lhe fará bem!

Podemos proporcionar ao processo do envelhecer, melhores cuidados com a saúde da pessoa idosa colocando em prática todas essas dicas, observando também suas limitações e particularidades, para então cuidar dela da maneira mais adequada. 

Não podemos esquecer de estarmos presentes em sua vida e cuidar com carinho e dedicação, respeitando sua autonomia e suas necessidades. 

Quais os cuidados com a alimentação dos idosos?

Um prato colorido, saudável e recheado de alimentos ricos em proteínas, vitaminas, bons carboidratos e minerais é importante em qualquer idade e fase da vida. Porém, a alimentação dos idosos precisa ser ainda mais bem planejada e cuidada. 

Afinal de contas, nessa fase da vida é preciso tomar muito mais cuidado com doenças, como diabetes, hipertensão, câncer, osteoporose e outras. Afinal de contas, a alimentação está totalmente relacionada à saúde. Além disso, se alimentar bem é sinônimo de força, bem-estar e qualidade de vida. 

A boa notícia é que uma boa alimentação não é difícil de ser colocada em prática, pode, inclusive, ser feita em casa. Basta ter as informações corretas!

Pensando em ajudar nessa missão e oferecer um envelhecimento saudável e feliz, preparamos algumas dicas para ajudar com a alimentação dos idosos. Pegue papel e caneta e tome nota!

Como cuidar da alimentação dos idosos?

Bom, o primeiro passo é entender o que o idoso precisa. Portanto, procure um nutricionista. Esse especialista verificará se falta algum tipo de vitamina no corpo e indicará uma dieta adequada para as particularidades da pessoa. 

Além disso, uma alimentação saudável precisa estar aliada a uma vida ativa. Ou seja, incentive o idoso a praticar atividades físicas. 

Para alcançar a verdadeira qualidade de vida, é preciso unir a alimentação dos idosos com a prática de atividade física. Isso também contribui para uma velhice mais feliz! 

Leia mais: 6 hábitos para uma velhice feliz

Faça um planejamento de compras e refeições

Talvez esse não seja um costume na sua casa, mas fazer um planejamento de compras ajudará a cuidar da alimentação dos idosos e também de toda a sua família. 

Além de planejar as compras, programar um cardápio de refeições ajuda a manter a alimentação sempre regulada e saudável. Pois, ao controlar as refeições do dia, você terá sempre uma comida de verdade nas refeições e evitará servir alimentos ultraprocessados, açúcares ou conservantes. 

Frutas, verduras e legumes são essenciais na alimentação dos idosos

Em quantas refeições você costuma colocar uma fruta, verdura ou legume? Sabia que elas precisam estar em TODAS? Pois, são ricos em minerais, fibras e vitaminas. Tudo o que o nosso corpo precisa para funcionar bem e ser saudável!

Portanto, não deixe eles de fora da alimentação dos idosos. Procure por uma variedade desses alimentos para não ser enjoativo e poder aproveitar das propriedades de todas. 

Arroz e feijão é uma dupla insuperável 

O Ministério da Saúde do governo brasileiro declara que o feijão e o arroz são uma dupla imbatível. E precisamos concordar. 

A combinação mais brasileira de todas é nutritiva, saborosa, saudável e pode ser inserida tranquilamente na alimentação dos idosos. Também é possível usar e abusar das variedades desses alimentos, como alternar entre o feijão-branco ou preto e usar outras leguminosas, como grão-de-bico, soja, ervilha ou lentilha.

Além de saudável e essencial, o arroz e feijão podem ser armazenados na geladeira e consumidos até 3 dias após cozidos. É ótimo para poupar tempo!

Preocupe-se com o ambiente

Pode até parecer que não tem relação, mas o ambiente onde acontecem as refeições está ligado diretamente com a qualidade da alimentação dos idosos. 

Por exemplo, se o local é tranquilo, limpo e agradável, isso contribui para a concentração no ato de comer e ajuda que o momento seja mais bem aproveitado e agradável. Ajuda também para que o idoso se sinta satisfeito por mais tempo. 

Portanto, na hora das refeições, faça com que o ambiente esteja: limpo, arejado, bem iluminado e confortável. Essa é uma recomendação do Ministério da Saúde

Cuidado com as bebidas

As bebidas também fazem parte da alimentação dos idosos e precisam de cuidado. O ideal é evitar aquelas muito açucaradas, como refrigerante, suco de caixinha e suco em pó. Geralmente, além do açúcar, elas possuem aromatizantes, corantes e outros aditivos prejudiciais.  

Essas bebidas podem atrapalhar no consumo de água e piorar doenças crônicas existentes, também contribuem para o desenvolvimento de obesidade e diabetes. O ideal é beber água e sucos com a própria fruta. 

Todas essas dicas são maneiras práticas, acessíveis e corretas de cuidar da alimentação dos idosos. Mas lembre-se de que também é importante cuidar dos excessos, beber bastante água e inserir alimentos ricos em cálcio na rotina dos idosos, como leite e ovos. Eles vão contribuir para fortalecer os ossos. 

Colocar em prática essas medidas, fará com que o idoso envelheça com dignidade, qualidade de vida e possa aproveitar a melhor idade da maneira mais positiva possível. 

Temos muitos outros conteúdos em nosso site que ajudarão a oferecer uma velhice digna e saudável. Clique aqui e leia mais!

Será que meu idoso precisa de ajuda psicológica?

Você tem prestado atenção no seu parente idoso e na maneira como ele está envelhecendo? Será que ele está precisando de uma ajuda psicológica? É muito comum quem precisa! 

O envelhecimento pode ser um momento conturbado, provocando estresses, desânimos, tristezas e ansiedades. É bom estar sempre atento, talvez seja necessária uma ajuda psicológica. 

Na realidade, a terceira idade é uma época bastante solitária. Os filhos estão ocupados com a sua própria vida, não há muitos momentos de lazer, o tempo ócio se torna cansativo e tudo o que antes era muito simples, se torna penoso. 

Isso por si só já são motivos para ficar em alerta com a saúde dos idosos. No entanto, se somarmos com o restante das dificuldades enfrentadas, como dores, o medo da morte, a falta de amizades, dificuldade de mobilidade e falta de autonomia percebemos o quanto a saúde mental pode estar em risco. 

Todas essas mudanças são um alerta de que o idoso precisa de ajuda psicológica, pois nenhuma grande transformação é simples de ser enfrentada sozinho. Em seguida, entenderemos a importância de ter um cuidado especial com a saúde mental e emocional dos idosos. 

Importância da ajuda psicológica na terceira idade 

Como mencionado anteriormente, o envelhecimento é um processo que provoca muitas mudanças e cada pessoa reage de uma forma diferente a elas. 

Alguns idosos podem lidar com a velhice de maneira muito tranquila e feliz, enquanto outros podem sofrer mais ao se perceberem sem tantas responsabilidades e compromissos, com dificuldades para fazer coisas simples. 

Nesses casos é sempre importante garantir o cuidado e procurar um especialista para ajudar. Ainda mais quando a saúde mental está completamente relacionada à qualidade de vida e ao bem-estar. 

Se o idoso vive a sua velhice com uma boa saúde mental, certamente sua saúde física também vai bem e vice-versa. Está tudo relacionado! 

Portanto, é tão importante procurar uma ajuda psicológica assim que perceber sinais de alerta. A seguir, vamos citar alguns desses sinais. 

Como identificar se o idoso precisa de ajuda 

Muitas vezes, os sinais de que o idoso precisa de ajuda psicológica são perceptíveis no seu comportamento cotidiano. 

Além disso, nesses momentos, o que antes era considerado algo essencial, eles deixam de lado. Por exemplo, fazer uma oração ou visitar um vizinho de quem gostam muito. 

Na terceira idade, os sinais de ansiedade e depressão são bem parecidos com os da vida de uma pessoa adulta. Porém, os idosos não costumam se queixar de tristeza, eles vão falar que estão com dificuldades para dormir, que estão cansados, com dor física ou problemas de memória.

Os sintomas são facilmente confundidos com a própria velhice ou descontentamento passageiro, algo simples, portanto, não necessitando de grande atenção. 

Além disso, conforme o Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Alagoas (Ipaseal), num equívoco acreditamos que a tristeza é um aspecto natural da velhice e a ignoramos. 

Sinais de alerta

Para não confundir os sintomas ou compreender exatamente o que se sente, citaremos alguns sinais que podem ser um alerta:

  • Irritabilidade constante – se uma pessoa não costumava se irritar facilmente e de uma hora para a outra isso se torne rotineiro, então, essa é uma bandeira vermelha para possíveis doenças emocionais; 
  • Afastamento – Assim como o exemplo anterior, devemos ficar atentos se o idoso se afastar das suas atividades, dos momentos em família, dos amigos;
  • Choros e desânimos frequentes –  Estar sempre desanimado e chorando não é normal. Esteja atento;
  • Falta de energia para realizar as atividades – Se o idoso está com uma saúde física de qualidade e costuma ser ativo, então, a falta de energia é algo para ficar de olho;
  • Mau-humor – um dia ou outro é normal, mas se acontecer diariamente e acompanhado do mau-humor vier a agressividade, procure a ajuda psicológica

Esses são apenas alguns dos sintomas que chamam a atenção para a depressão ou a ansiedade na terceira idade. 

Por fim…

Antes de precisar da ajuda psicológica, é possível evitar as doenças emocionais com uma alimentação balanceada, com atividades físicas, insistindo para que o idoso tenha uma vida social ativa, que mantenha conversas, amizades e relacionamentos. 

Além disso, ser alguém compreensível, afetuoso e gentil também ajuda muito, tanto a evitar as doenças quanto no enfrentamento delas. 

A tarefa de cuidar de um idoso é exigente e cansativa, mas fique atento aos comportamentos e, se notar algo estranho, ofereça a ajuda psicológica.

6 hábitos para uma velhice feliz

A terceira idade é uma fase da vida muito exigente, tanto para os idosos que sofrem com dores, medos e angústias, quanto para quem convive com eles. Afinal de contas, é como diz o ditado popular “idosos são novas crianças”, precisando de muito cuidado. Mas essa realidade não é imutável E se dissermos que dá pra ter uma velhice feliz e tranquila?

A vida dos idoso tem sido cada vez mais longa, alguns até chegam aos 100 anos e isso é motivo de comemoração. Embora, muitos deles vivem na terceira idade com muitos problemas de saúde, físicos e mentais. Alguns até perdem a disposição, a autonomia e a alegria de viver. 

Mas mais uma vez repetimos: isso não é imutável. Com alguns bons hábitos e transformações, no dia a dia,  é possível ter uma velhice feliz e tranquila, com muito bem-estar e qualidade de vida. 

Nesse artigo, traremos 6 hábitos saudáveis que podem transformar a vida dos idosos e fazer com que ela seja, de fato, a MELHOR IDADE! 

A velhice é tempo de movimento 

Os idosos, assim como as crianças, jovens e adultos, precisam lutar contra o sedentarismo. Precisam se movimentar e praticar atividades físicas. 

Fazer exercícios físicos traz benefícios, como: retardar o envelhecimento e prevenir doenças frequentes na terceira idade, como a osteoporose ou diabetes. Além disso, ela faz o cérebro liberar a endorfina, conhecido como hormônio da felicidade, que age reduzindo o estresse e ajudando contra a depressão. 

Então, incentive que o seu idoso faça alguma atividade. Mas cuide para que tenha sempre a supervisão de um especialista. Também é muito importante observar as particularidades do idoso na escolha do exercício. 

Dorme bem, vovôzinho! 

A privação de sono é muito prejudicial para a nossa saúde e qualidade de vida. Ela também afeta o funcionamento do nosso metabolismo e contribui com a depressão, ansiedade e estresse. 

O sono deve ter qualidade e deve durar por, pelo menos, oito horas. Garanta que o seu idoso esteja tendo boas noites de sono e que ele tenha conseguido descansar. 

Uma velhice feliz precisa de bons amigos 

Conforme os idosos vão envelhecendo, eles acabam se afastando dos amigos ou evitando as relações sociais fora do ambiente familiar e isso também é prejudicial para a qualidade de vida. 

Além disso, a solidão e o isolamento social estão totalmente ligados com a depressão. Portanto, incentive as amizades do idoso e o hábito da convivência.  Conversas com amigos, a troca de experiências e ouvir boas histórias contribuem para uma vida mais feliz! 

Leia também 7 doenças que precisam de atenção especial na 3ª idade

Ter uma boa alimentação é essencial

Uma alimentação balanceada e saudável também está totalmente ligada a uma velhice feliz e tranquila. Além disso, alguns alimentos como vegetais, grãos e hortaliças ajudam a prevenir a perda de memória. 

Sem falar que uma boa alimentação está relacionada com a disposição para viver o dia a dia. Certifique-se que a pessoa idosa da sua vida está se alimentando de forma adequada, com alimentos variados e coloridos. 

Pense rápido! Mantenha o cérebro ativo

É comum que, durante a velhice, o nosso cérebro fique mais lento e esquecido, por isso, precisamos constantemente estimulá-lo. Além disso, ao estimular o nosso cérebro, prevenimos a sua degeneração e o fortalecemos.

Uma boa maneira de manter o nosso cérebro ativo é fazendo atividades como jogos de memória, ler livros, experimentar novos hobbies e manter relações pessoais. 

Cuidar da vida espiritual 

A vida espiritual tem um papel muito importante para uma velhice feliz. É o relacionamento com Deus que vai ajudar nos momentos de medo, ansiedade e tristeza. 

Por isso, o hábito de manter uma intimidade com Deus também é essencial. Incentive o máximo que puder, leve a pessoa idosa da sua vida a uma Igreja, aos encontros que geralmente são promovidos para a terceira idade, conversem sobre Deus e a importância da espiritualidade. 

Certamente, ao manter esses 6 hábitos aliados a idas frequentes ao médico, o idoso vai viver mais e muito feliz. Seja o apoio que ele precisa! 

5 cuidados com os móveis da casa de um idoso

A casa de um idoso precisa estar muito bem preparada e organizada para não acontecer nenhum problema grave, como quedas. 

Conforme a idade vai passando e a velhice vai chegando, os idosos vão perdendo a sua mobilidade e a facilidade de se mover; a visão perde a qualidade; os sentidos ficam menos aflorados e algumas dores frequentes acabam aparecendo pelo corpo.

Portanto, com tantas dificuldades, o mínimo que os idosos precisam e merecem é um espaço de circulação livre, organizado e pensado estrategicamente para que sua movimentação seja segura.

Simples mudanças nos móveis da casa de um idoso já podem oferecer uma grande transformação para a qualidade de vida e locomoção da pessoa idosa. 

Importância de deixar a casa de um idoso segura 

De acordo com o Ministério da Saúde e com dados do levantamento do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde, “as quedas são responsáveis por 56,6% das mortes acidentais de pessoas acima de 75 anos”. 

Para pessoas mais jovens, uma queda pode significar apenas dores localizadas por alguns dias e, em casos mais graves, um osso quebrado. Mas para pessoas da terceira idade, as consequências de um tombo podem ser muito severas, como a morte.

Ou seja, é muito importante estar atento às condições de movimentação de um idoso dentro da sua casa. Devemos cuidar com os móveis mal distribuídos e com os itens de decoração da casa, como tapetes, luzes amareladas e fracas, piso liso, mesas de centro, cortinas longas que arrastam no chão, entre outros.

Em seguida, queremos te ajudar com 5 dicas para oferecer uma melhor qualidade de vida para os idosos, começando pela sua casa.

Priorize os móveis com bordas arredondadas 

Os móveis com bordas arredondadas ajudam os idosos a não se machucar e nem se enroscar quando estiverem caminhando. 

É uma mudança eficiente e simples. Ao comprar um móvel novo, já procure essas características.

Uma segunda solução é comprar adaptadores de móveis que cumpram esse papel de arredondar as quinas. 

Colocar esses itens de proteção em casa, certamente será uma mudança importante para a segurança do idoso.

Escolha móveis firmes e pesados 

Muitas vezes, os idosos precisam se firmar em algo para levantar ou se segurar quando estão caminhando ou então quando se desequilibram. Por isso, escolha móveis firmes e mais pesados. 

Assim, quando o idoso se firmar, o risco do móvel cair sobre ele é menor. 

Uma atitude como essa proporciona segurança, por exemplo, se o idoso sentir que pode se firmar em um dos seus móveis e levantar sozinho, ele vai se sentir mais seguro e confiante, além disso, vai entender que tem autonomia. 

Esses são bons sentimentos para um envelhecimento saudável e tranquilo. 

A casa de um idoso deve ter seus móveis reorganizados

Nem sempre o que já tem na casa de um idoso é perigoso, muitas vezes, os móveis só precisam ser reorganizados de uma forma que não ofereçam riscos. 

Encoste os móveis na parede e tire as mesas de centro do caminho. Além disso, as cômodas devem ficar perto da parede e longe das portas. O ideal é que todos os caminhos fiquem livres para a locomoção.

Cuide da cama e do colchão

A cama e o colchão também são preocupações, pois, eles precisam estar à altura do idoso, evitando as dificuldades para deitar ou levantar. 

Além disso, uma cama adequada para o peso e altura do idoso proporciona uma noite bem dormida, conforto e evita dores no corpo.

Evite os tapetes

Mesmo que os tapetes não sejam exatamente um móvel, eles estão, quase sempre, presentes na casa de um idoso e podem ser a causa de uma queda. 

Afinal de contas é muito fácil enroscar o pé no tapete enquanto anda, provocando um tombo bem feio. 

Portanto, retire os tapetes, prefira pisos antiderrapantes e se necessário coloque barras de segurança pela casa. 

Outro ponto importante com a casa de um idoso é a iluminação. Quanto mais claro e iluminado, mais fácil será para o idoso se locomover e se encontrar dentro de sua casa! 

Agora que você já sabe exatamente como organizar os móveis e o que priorizar, seu idoso terá muito mais segurança e tranquilidade, assim como você. 

Leve todos esses pontos em consideração e promova uma velhice mais tranquila e segura! 

Continue se aprofundando no assunto. Leia os nossos artigos sobre qualidade de vida na terceira idade.