Centro Âncora lança novo logotipo

O Centro de Revitalização Âncora lançou, no mês de julho, a nova Identidade Visual da instituição. O conceito estabelecido para a construção visual da marca Âncora, foi com base no que a própria palavra remete, ou seja, o símbolo de uma âncora, justamente para expressar o trabalho de apoio e refúgio na turbulência dos religiosos. 

O novo conceito da marca tem a responsabilidade de transmitir o conceito da instituição, que se preocupou em trazer elementos que representassem a personalidade da marca como: simplicidade, confiabilidade, responsabilidade, acolhedora e humana.

Atualmente, o logotipo do Centro Âncora traz elementos da Cruz e do Ser Humano, onde o primeiro representa a dor, a salvação e a redenção. Já a segunda traz o enforque ao ser humano, destinatário desta redenção.

Para Irmã Daniely, CR – do departamento de comunicação da Copiosa Redenção e que apresentou o projeto da nova identidade visual do Centro Âncora, este trabalho foi uma grande “imersão”, pois busquei entender e ter uma forma de expressar o trabalho desenvolvido no Centro Âncora. – diz a religiosa. 

Centro Âncora – Conheça as dependências

O Centro Âncora é uma casa de acolhida para sacerdotes e religiosos (as) que estão enfrentando angústias profundas e apresentam sinais de depressão, ansiedade, estresse, cansaço extremo e/ou Síndrome de Burnout. 

O processo de revitalização do Centro Âncora já existe há 10 anos e durante todo esse tempo já ajudamos a revitalizar a saúde física, mental e espiritual de muitos padres, irmãos e irmãs que estavam sofrendo.

Leia mais: Qual a diferença entre cansaço e depressão?   

Tudo é feito com muita responsabilidade, humanidade e principalmente, seguindo a tradição da espiritualidade cristã. Nosso objetivo é oferecer um lugar seguro e confiável para que essas pessoas lancem âncora e se permitam transformar o que for necessário em sua vida. E, então, possam voltar – revitalizados – para o mar que é a vocação que Deus lhes chamou a seguir.

Ajudamos com que essas pessoas cuidem de si e voltem para o amor de Deus. Enquanto procuram por Deus no mais íntimo do coração, encontram-se a si mesmo.

Geralmente, o processo de revitalização dura, em média, 30 a 90 dias. Tudo depende do sacerdote ou religioso (a).

Nas próximas linhas, há muitas respostas sobre como esse processo de revitalização é feito, como tudo começa, quais os profissionais do Centro Âncora, as atividades, a estrutura e muitas outras informações importantes. 

Leia mais: O que é Síndrome de Bornout?

Qual o primeiro passo de quem é acolhido no Centro Âncora?

Todo sacerdote ou religioso (a) que chega ao Centro Âncora passa por uma conversa inicial juntamente com o médico psiquiatra, psicólogo, e seu responsável, que pode ser o bispo, o superior ou a superiora da sua congregação. 

Em seguida, a pessoa já é inserida na rotina da casa e dá início ao processo de revitalização. 

A agenda dos sacerdotes e religiosos (as) é cheia

Ainda que os sacerdotes e religiosos (as) estejam afastados das suas obrigações, eles têm uma agenda cheia no Centro Âncora. 

Todas as manhãs acontecem as formações em grupo com um psicólogo (sendo cada dia da semana um profissional diferente). E um dos dias da semana ocorre a direção espiritual, normalmente é com a Irmã Sílvia, coordenadora do setor de espiritualidade, ou com algum outro padre.

Leia mais: Amiga ou inimiga: rotina na saúde mental 

Além do atendimento em grupo com o psicólogo e da direção espiritual individual, o padre, irmã ou irmão também passa por um atendimento médico semanal e a terapia individualizada que acontece duas vezes na semana. Cada membro tem um terapeuta para chamar de seu. 

Há momentos onde o corpo é exercitado e trabalhado. As atividades físicas acontecem no período da tarde, sejam aulas de Educação Física ou Pilates. 

O Centro Âncora também se preocupa com a alimentação e entende a importância que ela tem para a revitalização do corpo e da mente. Portanto, o acompanhamento nutricional é feito por uma profissional qualificada. As formações alimentares feitas em grupo também acontecem no período da tarde e semanalmente e o atendimento pessoal é quinzenal.

A estrutura do Centro Âncora e os profissionais

Dependemos de uma estrutura considerável para que nossa missão de revitalização seja cumprida com excelência. Ao todo são 16 quartos na casa principal, mas estamos ampliando esse espaço e inserindo mais 11 suítes. 

Dispomos também de: capela, refeitório, sala de atendimento médico, sala de atendimento psicológico, quadra de esportes, espaço de Pilates onde acontecem as aulas de Pilates solo e com aparelho. 

Para que tudo aconteça em perfeita ordem, contamos com a ajuda de 15 profissionais, sendo: 4 psicólogos, 2 médicos psiquiatras, 1 assistente social, 1 fisioterapeuta, 1 educadora física, 1 nutricionista, 1 administrador, 1 pessoa responsável pela direção espiritual e 2 enfermeiros. Temos também a Irmã Adenise, psicóloga e diretora espiritual do espaço. 

Além dessas 15 pessoas, temos outros 6 colaboradores que fazem o trabalho de: auxiliar administrativo, cozinha, limpeza e serviços gerais. Ou seja, ao todo são 21 pessoas trabalhando para oferecer o melhor para os sacerdotes e religiosos (as) que procuram ajuda.

Desde a fundação do Centro Âncora, as atividades haviam sido pensadas de forma que se complementassem. Então, todos esses 21 profissionais e colaboradores têm suas importância no processo de revitalização. 

Hoje, a função de um completa a função do outro. Somos uma equipe que trabalha de forma bastante coesa naquele que é o nosso objetivo: revitalizar a saúde física, mental, espiritual, emocional e psicológica de quem serve ao Reino de Deus. 

Diferencial do Centro Âncora 

A singularidade do Centro Âncora se dá justamente por uma equipe qualificada, responsável e unida em um mesmo propósito. Portanto, o que faz o Centro Âncora ser diferente de outras casas de acolhida é a nossa equipe.

Leia mais: 5 sinais de que você precisa cuidar da sua saúde mental 

Os sacerdotes e religiosos (as) quando encerram seu processo de revitalização costumam nos dar um feedback em relação ao atendimento e do quanto eles se sentiram bem cuidados durante sua estadia, mesmo aqueles que chegam um pouco resistentes. 

Por isso, o que faz o nosso trabalho diferir é o esse acompanhamento, e como essa pessoa é acolhida, recebida e atendida. Nosso dia a dia é sempre de muito carinho e respeito. Procuramos fazer um trabalho amoroso e de preocupação com o ser humano, não com a sua posição como sacerdote ou religioso, mas, sim, com o ser humano. Portanto, nos orgulhamos em dizer que o nosso diferencial é a forma com que a equipe trabalha e atende. 

Como lançar âncora?

Para que alguém lance âncora, geralmente o primeiro contato é feito pelo responsável do padre, irmão ou irmã, ou seja, o bispo da diocese, ou o diretor/coordenador da comunidade e congregação. 

Após o primeiro contato e de uma conversa com intuito de entender os motivos da busca por ajuda com esse responsável, solicitamos toda a documentação, organizamos a papelada de recepção, os contratos e agendamos uma visita para a vinda desse padre, irmã ou irmão. Nessa visita também é o dia de ancorar. 

O dia da chegada é sempre nas segundas-feiras. O sacerdote e o religioso já tem tudo o que precisa em mãos, pois tudo é combinado previamente.

É importante ressaltar que não podemos atender um número muito grande de pessoas. Geralmente, recebemos simultaneamente de 18 a 22 pessoas.  

Se você se encontra em situação de cansaço, estresse, ansiedade e sente que precisa da nossa ajuda, nos procure. O mesmo serve para os líderes de uma comunidade que percebem atitudes diferentes em seus padres, irmãos ou irmãs, não deixe chegar no extremo, procure ajuda. Estamos de braços abertos para recebê-los! 

Quer conhecer mais sobre o Centro Âncora ou agendar uma visita? Confira o vídeo abaixo, onde falamos um pouco mais, mostrando imagens do nosso espaço.

Centro Âncora relembra seus 10 anos de história

No dia 27 de maio, o Centro Âncora comemora 10 anos de fundação e relembra como tudo começou

O Centro Âncora celebra, nesta sexta-feira, 27, seus 10 anos de fundação. Uma data especial que merece comemoração e carinho. 

Relembrar a história da fundação do Centro Âncora é pensar em todos os sacerdotes e religiosos que lançaram âncora por aqui e foram ajudados e revitalizados.

Afinal de contas, o Centro Âncora nasceu justamente pelo incômodo diante das dificuldades enfrentadas por uma religiosa que estava passando por uma depressão. Ao nos depararmos com essa situação, demos conta de que não havia um serviço especializado para acolher sacerdotes e religiosos (as) que sofriam com cansaço extremo, ansiedade, depressão e outras questões relacionadas. 

Centro Âncora: uma resposta para os tempos atuais

Deus continuou incomodando nosso coração sobre essa necessidade de um lugar que pudesse oferecer esse trabalho. Fizemos pesquisas e em uma conversa com o fundador das Irmãs da Copiosa Redenção, Pe. Wilton Moraes Lopes, levamos o assunto para ele. Fomos incentivadas a continuar, desde que essa fosse realmente uma necessidade dos tempos atuais. 

Continuamos a nossa busca e conversamos com pessoas especializadas, como médicos e psicólogos. Decidimos confiar o projeto à tutela de São José  (simbolicamente, foi colocada uma chave nas mãos da imagem do pai de Jesus), pedindo que ele intercedesse para que a vontade de Deus se realizasse.

Tivemos um tempo de silêncio, sem nenhuma manifestação sobre o assunto. Até que em agosto de 2011, Pe. Wilton telefonou, perguntando sobre o andamento do projeto. Depois de receber uma resposta negativa, ele pediu para não desistir da ideia, pois as dificuldades seriam superadas.

Nesse mesmo ano, tomamos a decisão de executar o projeto de acolhimento com o que era possível no momento. Tínhamos uma equipe pequena de profissionais, ao todo eram 5 pessoas e dividimos espaço com o Lar Adelaide Weiss Scarpa. 

Pela graça de Deus, recebemos uma ajuda financeira considerável. Entendemos como um sinal de Deus e começamos as nossas atividades em  27 de maio de 2012. 

Uma história de recomeços

Em pouco tempo, tivemos uma grande procura por parte dos sacerdotes e religiosos.  Portanto, precisamos aumentar o nosso espaço. Em 2014, adquirimos uma nova casa, aumentando a capacidade de 12 para 25 pessoas acolhidas. 

Nestes 10 anos de Centro Âncora, tivemos a graça de ajudar, revitalizar e renovar a fé e a saúde mental de muitos sacerdotes e religiosos (as) que estavam perdidos. Cumprindo assim o nosso propósito e missão! 

A Irmã Adenise Somer, fundadora e diretora do Centro Âncora, reforça que o Centro Âncora é um lugar de acolhida, não uma clínica. É um local onde os sacerdotes e religiosos (as) poderão fazer o caminho de volta para si e encontrar, no mais íntimo do coração, Deus e a si mesmo. 

“Quando as pessoas acolhidas voltam para a sua realidade recebemos um feedback de como foi essa volta,  para nós é muito gratificante perceber que estamos fazendo um caminho que está dando certo”, conclui a Irmã Adenise. 

Conheça mais sobre o Centro Âncora e o serviço que fazemos aqui.