Qual a importância da saúde emocional na vida religiosa?

A vida religiosa não é uma profissão ou uma carreira. Ser religioso é abraçar o seguimento de Jesus Cristo, por meio de um Carisma Vocacional que abarca um estilo de vida próprio. Portanto, quem se torna religioso volta sua vida inteira para uma consagração de vida. Ou seja, sua história, com feridas e desafios, seu presente com suas lutas e dificuldades, e seu futuro com suas incertezas. Tudo é colocado nas mãos de Deus.

Desse modo, o ser inteiro com sua psique, seu corpo, sua inteligência e vontade, sua afetividade e memória, suas emoções, tudo ingressa na família religiosa. Por isso,  não é incomum que religiosos e sacerdotes vivenciem momentos de depressão e ansiedade, estafa ou síndrome de Burnout. 

Inclusive, santos e santas na história da Igreja tiveram relatado em suas biografias momentos difíceis, com suas emoções profundamente abaladas. Desse modo, fica claro como é importante ter saúde emocional na vida religiosa.  

Entenda melhor aqui conosco como as emoções interferem na vida religiosa, assim como encontre dicas para manter sua saúde emocional. Confira! 

As emoções na vida religiosa 

Assim como é dito sobre os sacerdotes, o religioso é um homem ou uma mulher, escolhidos por Deus, no meio dos demais homens e mulheres. Essa escolha não faz dele uma espécie de santo súbito ou de um super-herói. Suas fraquezas, lutas e desafios humanos continuam latentes, mas devem ser canalizados para a missão e a espiritualidade. 

Amedeo Cencini, sacerdote canossiano e um dos principais nomes quando se refere à psicologia e vida consagrada, costuma usar a expressão “integração”, ou seja, a união entre o eu “ideal” – o santo, o religioso perfeito – e o eu “real – o homem que continua sendo instrumento desse chamado extraordinário. 

Na vida ordinária de uma família, o desequilíbrio emocional causa diversos desafios como desentendimentos, impaciência, incapacidade de relacionamento ou mesmo de trabalho, tristeza e depressão. De igual modo, a vida comunitária das ordens e congregações são fortemente atingidas quando há um irmão, sacerdote ou irmã ficam emocionalmente fragilizados.

Consequências de não cuidar da saúde emocional

Para deixar isso ainda mais claro, vamos apresentar algumas consequências sentidas na pele por aqueles que não cuidam da sua saúde emocional na vida comunitária e religiosa. 

Uma situação comum no meio comunitário é quando alguém começa a provocar ou a se colocar em situações desagradáveis, como discussões e confusões sem objetivo claro. Quando muitos dizem: “Parece que só quer implicar!”. Na verdade, é necessário que se ligue um pisca-alerta. 

Isso fica ainda mais evidente quando o religioso passa a ter problemas de relacionamento com pessoas ao redor, incluindo irmãos da comunidade, amigos, colegas de apostolado ou até do povo de Deus. O que pode gerar dificuldades interpessoais sem tamanho. 

Além disso, é possível que o religioso passe por momentos de crise emocional, com choros frequentes, sintomas como tremedeiras, sudorese, taquicardia, medo sem causa aparente, sensação de desmaio, tonturas, entre outros. Irritabilidade, falta de paciência, síndrome de perseguição e vitimismo são outras características comuns. 

Como ter saúde emocional no cotidiano comunitário

Portanto, em cada situação da vida cotidiana é necessário, inicialmente, evitar o exagero nas emoções negativas e investir no que é positivo. É comum, sobretudo para pessoas com temperamento mais frio, tenderem a se focar sempre na parte mais difícil das coisas. 

São João Paulo II nos ensina: “Tu te tornas aquilo que contemplas”. Sendo assim, ao invés de nos focarmos no que é negativo é importante contemplarmos o que é bom, positivo, belo e sagrado para manter a saúde emocional.  

Além disso, é importante que se cuide da saúde física, com uma alimentação balanceada e exercícios físicos. A vida sedentária e uma alimentação desregulada influencia diretamente nos hormônios do prazer e bem-estar, gerando desequilíbrios nas emoções. Outra dica importante é: atenção com o uso de redes sociais. 

Há muitos religiosos enfrentando sérios quadros emocionais por questões relacionadas ao vício em redes sociais, ou mesmo insatisfação com a própria vida por contemplar a vida virtual de terceiros e seus exageros, ao invés da vida real, escolhida.  

Desse modo, religiosos e sacerdotes não podem ficar desatentos às suas emoções. Além disso, a qualquer sinal de desequilíbrio é preciso parar, refletir e decidir-se mais uma vez pela saúde física e mental, equilibrando o emocional e recomeçando. Se necessário, busque um acompanhamento e ajuda de profissionais dedicados e com experiência com religiosos.

5 dicas para lidar com a ansiedade na vida consagrada

Momentos de ansiedade, seja por motivos desafiantes ou mesmo de celebração, fazem parte do cotidiano. Na vida religiosa e sacerdotal não é diferente. Além disso, muitas são as realidades difíceis que a missão expõe, seja pelas dores do mundo ou pelas dificuldades enfrentadas. 

Por conta da pandemia, saímos de uma vida de intensa atividade apostólica e pastoral. Foi necessário fechar as portas das igrejas, parar com os eventos e manter as comunidades reclusas, gerando uma rotina nunca vivida antes por tanto tempo. Logo, a ansiedade passou a ser um vilão ainda mais presente na vida religiosa. 

Além disso, a falta de presença na realidade e a busca exagerada do que ainda não faz parte do presente tendem a adoecer homens e mulheres. Logo depois do período mais crítico da pandemia, falou-se muito de uma epidemia de ansiedade e depressão. 

Por isso, tem se tornado cada vez mais comum religiosos e sacerdotes sofrerem com transtornos de ansiedade, depressão e outras patologias. Confira 5 dicas para administrar da melhor forma possível as ansiedades da vida.

Concentre-se no presente 

A vida do ansioso tende a perder sua qualidade, sobretudo quando surgem sintomas fisiológicos como taquicardia, sudorese, falta de ar, tonturas e outros. Uma das formas de lutar contra isso é focar-se na realidade, no presente.

Santa Teresinha do Menino Jesus, em sua pequena via, orienta: “Só temos o hoje para amar!”. Essa prática traz uma imersão na realidade que possibilita a fuga de distrações ou ansiedades exageradas. 

Alguns terapeutas orientam que, no momento de crise, deve-se focar em um objeto e tentar descrevê-lo em detalhes, como forma de desfocar-se da ansiedade. 

Portanto, a dica inicial é: procure concentrar-se no presente, na realidade, no que está ao seu redor.

Busque profissionais adequados 

Como dito acima, todos nós convivemos com momentos de ansiedade e tensão. O importante aqui é ficarmos atentos aos nossos limites e, em especial, aos sintomas ditos acima. 

Ao surgirem, ainda que de modo sutil, é importante buscar por profissionais capacitados, como psicólogos e/ou psiquiatras, que acompanhem de perto o caso. 

Contudo, um alerta importante da Congregação para Vida Consagrada é que se busque a orientação de profissionais que sejam alinhados aos valores e princípios da fé e da vida religiosa.

Pratique exercício físico

Já é uma unanimidade na ciência os benefícios da prática de exercício físico para a saúde mental. E quando se refere à ansiedade isso também se aplica, afinal as atividades físicas aumentam a liberação de neurotransmissores como a endorfina, a serotonina e a noradrenalina. 

Quando liberadas no organismo, aumentam a sensação de bem-estar, por agirem diretamente no sistema nervoso central, aliviando a depressão e neutralizando os níveis de ansiedade. 

Qualidade de sono e alimentação

Outras duas realidades importantes sobre a vida saudável que influenciam diretamente nos transtornos de ansiedade são o sono e a alimentação. 

Uma alimentação rica em frutas, verduras e proteínas favorecem a produção dos neurotransmissores e possibilitam uma desinflamação metabólica, necessária para o bem-estar. Ao contrário, alimentos ricos em carboidratos e gorduras saturadas aumentam os níveis de inflamação no organismo. 

Por sua vez, o sono é outro aliado da saúde mental, pois sem o descanso necessário, o corpo não consegue encontrar um nível adequado de esforço e repouso. Mantendo, assim, a pessoa envolvida em níveis de tensão e estresse contínuos. 

Vida espiritual sempre em 1º lugar  

Para qualquer cristão, independentemente de sua condição, a espiritualidade lhe confere um bem-estar necessário. Isso é tão verdade, que cientistas já investigam os efeitos da espiritualidade como benefício para a saúde mental. 

Logo, os religiosos não estão fora dessa dimensão, muito pelo contrário, ainda que sua vida esteja marcada por práticas religiosas, a vida de oração não pode ser negligenciada. 

Obviamente, em momentos de ansiedade e depressão, nem sempre será fácil a oração da Liturgia das Horas, do Rosário ou mesmo horas de adoração ao Santíssimo Sacramento. Porém, a oração como olhar lançado ao céu não pode ficar esquecido. Será Daquele que chamou cada uma das vocações que virá o socorro necessário.

Desse modo, seguindo cada uma dessas dicas é possível combater os malefícios da ansiedade.  O que precisa ser feito o quanto antes!

Centro Âncora lança novo logotipo

O Centro de Revitalização Âncora lançou, no mês de julho, a nova Identidade Visual da instituição. O conceito estabelecido para a construção visual da marca Âncora, foi com base no que a própria palavra remete, ou seja, o símbolo de uma âncora, justamente para expressar o trabalho de apoio e refúgio na turbulência dos religiosos. 

O novo conceito da marca tem a responsabilidade de transmitir o conceito da instituição, que se preocupou em trazer elementos que representassem a personalidade da marca como: simplicidade, confiabilidade, responsabilidade, acolhedora e humana.

Atualmente, o logotipo do Centro Âncora traz elementos da Cruz e do Ser Humano, onde o primeiro representa a dor, a salvação e a redenção. Já a segunda traz o enforque ao ser humano, destinatário desta redenção.

Para Irmã Daniely, CR – do departamento de comunicação da Copiosa Redenção e que apresentou o projeto da nova identidade visual do Centro Âncora, este trabalho foi uma grande “imersão”, pois busquei entender e ter uma forma de expressar o trabalho desenvolvido no Centro Âncora. – diz a religiosa. 

Irmãs da Copiosa Redenção participam de Festa do Divino Pai Eterno

Religiosas já realizam trabalho dentro do Santuário

As Irmãs da Copiosa Redenção marcaram presença durante a Festa do Divino Pai Eterno, em Trindade/GO. As religiosas que atualmente já trabalham no Santuário, puderam estar mais próximas dos devotos do Pai Eterno.

Um estande foi montado durante a festa e lá os devotos puderam conhecer o carisma da Copiosa Redenção. A promotora vocacional, Irmã Nayara, esteve presente, bem como as Irmãs da comunidade Santa Tereza D’Avila, da cidade de Torixoréu/MT.

Durante os 10 dias de evento, mais de 2 milhões de fiéis passaram pela cidade, segundo a Prefeitura.

A FESTA DO DIVINO PAI ETERNO

Celebrada no primeiro domingo do mês de julho de cada ano, a festa do Divino Pai Eterno reúne muitos devotos de várias partes do Brasil e do mundo.

Durante os nove dias que antecedem o evento, são celebradas missas, novenas, encontros com jovens, acolhida e procissão dos carros de boi, foliões, tropeiros, entre outros.

Muitos devotos percorrem a pé o trajeto entre os municípios de Goiânia e Trindade, chegando até o Santuário Basílica, aproximadamente 18 km, como forma de pagar promessas, pedir graças e render agradecimentos pelas bênçãos alcançadas. 

Copiosa Redenção lança podcast “Peregrino na tua vontade”

A partir do dia 01 de agosto, dentro do perfil da Copiosa Redenção no instagram, acontece o podcast “Peregrino na tua vontade”. A ideia do programa é trazer assuntos voltados a vocação, mas de forma leve e descontraída. 

Apresentado pelos religiosos da congregação, a cada semana um convidado diferente, abordando assuntos que vão desde vocação, trabalho e evangelização.

O podcast Peregrino na tua Vontade acontecerá todas as segundas-feiras às 22h no @copiosaredencao no instagram. 

Retiro de silêncio das Irmãs finaliza com missa especial para o Fundador

Padre Wilton, fundador da CR, celebrou 39 anos de vida sacerdotal

O retiro das Irmãs da Copiosa Redenção finalizou no último sábado (16), na chácara de Uvaia, e contou com a participação especial do fundador, Padre Wilton, que celebrou, ao lado de sua congregação, seus 39 anos de vida sacerdotal.

Devido a impossibilidade do fundador e de outras irmãs, a comemoração só pôde ser realizada agora. Além das Irmãs, os Irmãos também se fizeram presente, bem como os noviços que estavam na Itália e retornaram para o Brasil para realizar a segunda parte do noviciado, em terras brasileiras.

Este é o 2º retiro de silêncio voltado para as Irmãs. O primeiro aconteceu em janeiro deste ano. Um terceiro retiro está programado para acontecer no final de novembro.

Retiro de silêncio reúne 23 pessoas na chácara de Uvaia

Retiro de silêncio para leigos contou com a presença da Irmã Zélia e os Padres da Copiosa Redenção

Durante os dias 04 a 08 de julho, aconteceu na chácara de Uvaia, o retiro de silêncio para leigos. Neste mês, 23 pessoas, de diferentes partes do país, participaram do retiro.

Este é o 4º retiro com essa proposta que ocorreu em 2022. Para o mês de agosto estão programadas duas datas: o primeiro acontece entre os dias 08 a 12 e o segundo nos dias 22 a 26 de agosto.  

SOBRE O RETIRO

O evento espiritual promovido pela Copiosa Redenção, é um convite para que o fiel venha silenciar o seu coração e ouça a voz de Deus em seu interior.

Durante os cinco dias em que o retiro é realizado, os participantes devem mergulhar no silêncio, se abrindo apenas para ouvir e meditar as pregações realizadas pelos Padres da Copiosa Redenção e pela Irmã Zélia.

Os interessados em participar dessa modalidade, podem fazer a sua inscrição com a Sandra pelo (42) 9 9910 3933

Irmãos promovem festa a São João Batista

Evento em homenagem a São João Batista contou com a presença do pregador Astromar Braga

Os Irmãos da Copiosa Redenção promoveram entre os dias 21 a 26 de junho, a festa em honra ao padroeiro, São João Batista, na cidade de Presidente Médici/RO.

Durante as festividades, no dia 24, a paróquia contou com a presença do pregador Astromar Braga, que ministrou uma tarde de oração. Já no dia 25, dia de São João Batista, além da celebração, marcada para o início da noite, os paroquianos puderam aproveitar uma festa com música, barracas com comidas típicas, além da tradicional dança da quadrilha.

No domingo, dia 26, os paroquianos puderam participar do almoço, além de uma tarde de show de prêmios, promovido pela comunidade.

FESTA JULINA TAMBÉM ANIMOU UVAIA

E os Irmãos em Ponta Grossa, na chácara de Uvaia, promoveram na primeira semana de julho, a festa julina.

Assim como em Médici, a comunidade do Paraná também teve a tradicional quadrilha, muita música, além das barracas com comidas típicas.

Todo o valor arrecadado na festa será revertido na manutenção da comunidade terapêutica. 

Centro Âncora – Conheça as dependências

O Centro Âncora é uma casa de acolhida para sacerdotes e religiosos (as) que estão enfrentando angústias profundas e apresentam sinais de depressão, ansiedade, estresse, cansaço extremo e/ou Síndrome de Burnout. 

O processo de revitalização do Centro Âncora já existe há 10 anos e durante todo esse tempo já ajudamos a revitalizar a saúde física, mental e espiritual de muitos padres, irmãos e irmãs que estavam sofrendo.

Leia mais: Qual a diferença entre cansaço e depressão?   

Tudo é feito com muita responsabilidade, humanidade e principalmente, seguindo a tradição da espiritualidade cristã. Nosso objetivo é oferecer um lugar seguro e confiável para que essas pessoas lancem âncora e se permitam transformar o que for necessário em sua vida. E, então, possam voltar – revitalizados – para o mar que é a vocação que Deus lhes chamou a seguir.

Ajudamos com que essas pessoas cuidem de si e voltem para o amor de Deus. Enquanto procuram por Deus no mais íntimo do coração, encontram-se a si mesmo.

Geralmente, o processo de revitalização dura, em média, 30 a 90 dias. Tudo depende do sacerdote ou religioso (a).

Nas próximas linhas, há muitas respostas sobre como esse processo de revitalização é feito, como tudo começa, quais os profissionais do Centro Âncora, as atividades, a estrutura e muitas outras informações importantes. 

Leia mais: O que é Síndrome de Bornout?

Qual o primeiro passo de quem é acolhido no Centro Âncora?

Todo sacerdote ou religioso (a) que chega ao Centro Âncora passa por uma conversa inicial juntamente com o médico psiquiatra, psicólogo, e seu responsável, que pode ser o bispo, o superior ou a superiora da sua congregação. 

Em seguida, a pessoa já é inserida na rotina da casa e dá início ao processo de revitalização. 

A agenda dos sacerdotes e religiosos (as) é cheia

Ainda que os sacerdotes e religiosos (as) estejam afastados das suas obrigações, eles têm uma agenda cheia no Centro Âncora. 

Todas as manhãs acontecem as formações em grupo com um psicólogo (sendo cada dia da semana um profissional diferente). E um dos dias da semana ocorre a direção espiritual, normalmente é com a Irmã Sílvia, coordenadora do setor de espiritualidade, ou com algum outro padre.

Leia mais: Amiga ou inimiga: rotina na saúde mental 

Além do atendimento em grupo com o psicólogo e da direção espiritual individual, o padre, irmã ou irmão também passa por um atendimento médico semanal e a terapia individualizada que acontece duas vezes na semana. Cada membro tem um terapeuta para chamar de seu. 

Há momentos onde o corpo é exercitado e trabalhado. As atividades físicas acontecem no período da tarde, sejam aulas de Educação Física ou Pilates. 

O Centro Âncora também se preocupa com a alimentação e entende a importância que ela tem para a revitalização do corpo e da mente. Portanto, o acompanhamento nutricional é feito por uma profissional qualificada. As formações alimentares feitas em grupo também acontecem no período da tarde e semanalmente e o atendimento pessoal é quinzenal.

A estrutura do Centro Âncora e os profissionais

Dependemos de uma estrutura considerável para que nossa missão de revitalização seja cumprida com excelência. Ao todo são 16 quartos na casa principal, mas estamos ampliando esse espaço e inserindo mais 11 suítes. 

Dispomos também de: capela, refeitório, sala de atendimento médico, sala de atendimento psicológico, quadra de esportes, espaço de Pilates onde acontecem as aulas de Pilates solo e com aparelho. 

Para que tudo aconteça em perfeita ordem, contamos com a ajuda de 15 profissionais, sendo: 4 psicólogos, 2 médicos psiquiatras, 1 assistente social, 1 fisioterapeuta, 1 educadora física, 1 nutricionista, 1 administrador, 1 pessoa responsável pela direção espiritual e 2 enfermeiros. Temos também a Irmã Adenise, psicóloga e diretora espiritual do espaço. 

Além dessas 15 pessoas, temos outros 6 colaboradores que fazem o trabalho de: auxiliar administrativo, cozinha, limpeza e serviços gerais. Ou seja, ao todo são 21 pessoas trabalhando para oferecer o melhor para os sacerdotes e religiosos (as) que procuram ajuda.

Desde a fundação do Centro Âncora, as atividades haviam sido pensadas de forma que se complementassem. Então, todos esses 21 profissionais e colaboradores têm suas importância no processo de revitalização. 

Hoje, a função de um completa a função do outro. Somos uma equipe que trabalha de forma bastante coesa naquele que é o nosso objetivo: revitalizar a saúde física, mental, espiritual, emocional e psicológica de quem serve ao Reino de Deus. 

Diferencial do Centro Âncora 

A singularidade do Centro Âncora se dá justamente por uma equipe qualificada, responsável e unida em um mesmo propósito. Portanto, o que faz o Centro Âncora ser diferente de outras casas de acolhida é a nossa equipe.

Leia mais: 5 sinais de que você precisa cuidar da sua saúde mental 

Os sacerdotes e religiosos (as) quando encerram seu processo de revitalização costumam nos dar um feedback em relação ao atendimento e do quanto eles se sentiram bem cuidados durante sua estadia, mesmo aqueles que chegam um pouco resistentes. 

Por isso, o que faz o nosso trabalho diferir é o esse acompanhamento, e como essa pessoa é acolhida, recebida e atendida. Nosso dia a dia é sempre de muito carinho e respeito. Procuramos fazer um trabalho amoroso e de preocupação com o ser humano, não com a sua posição como sacerdote ou religioso, mas, sim, com o ser humano. Portanto, nos orgulhamos em dizer que o nosso diferencial é a forma com que a equipe trabalha e atende. 

Como lançar âncora?

Para que alguém lance âncora, geralmente o primeiro contato é feito pelo responsável do padre, irmão ou irmã, ou seja, o bispo da diocese, ou o diretor/coordenador da comunidade e congregação. 

Após o primeiro contato e de uma conversa com intuito de entender os motivos da busca por ajuda com esse responsável, solicitamos toda a documentação, organizamos a papelada de recepção, os contratos e agendamos uma visita para a vinda desse padre, irmã ou irmão. Nessa visita também é o dia de ancorar. 

O dia da chegada é sempre nas segundas-feiras. O sacerdote e o religioso já tem tudo o que precisa em mãos, pois tudo é combinado previamente.

É importante ressaltar que não podemos atender um número muito grande de pessoas. Geralmente, recebemos simultaneamente de 18 a 22 pessoas.  

Se você se encontra em situação de cansaço, estresse, ansiedade e sente que precisa da nossa ajuda, nos procure. O mesmo serve para os líderes de uma comunidade que percebem atitudes diferentes em seus padres, irmãos ou irmãs, não deixe chegar no extremo, procure ajuda. Estamos de braços abertos para recebê-los! 

Quer conhecer mais sobre o Centro Âncora ou agendar uma visita? Confira o vídeo abaixo, onde falamos um pouco mais, mostrando imagens do nosso espaço.

Como fortalecer saúde física, mental, emocional e espiritual

Saúde é um assunto sério e deve ter nossa atenção constante. Afinal, só assim podemos alcançar uma vida equilibrada e feliz. No entanto, é uma tarefa que pede paciência e cuidado. Por isso, para te ajudar nessa missão de como fortalecer sua saúde, trouxemos algumas dicas práticas para você. 

É comum que, com as obrigações, cobranças e o cansaço do dia a dia da vida sacerdotal ou religiosa, o cuidado com a saúde física e mental sejam esquecidos. Como consequência, surgem crises de ansiedade, pânico e estresse, citando apenas questões mentais e emocionais, mas o corpo, a saúde emocional e a espiritual também sofrem com o descuido. 

Afinal de contas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ter uma saúde equilibrada é possuir “um estado completo de bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doenças”. 

Portanto, ser saudável envolve uma série de questões que se complementam, entre elas: saúde física, mental, emocional e espiritual. Se tudo estiver em ordem, há qualidade de vida. 

Mas para que tudo esteja em harmonia o primeiro passo é conhecer o porquê e em seguida entender como fortalecer sua saúde. 

Importância de fortalecer sua saúde 

É costume dizer que a primeira coisa que deve ser feita, ao acordar pela manhã, é arrumar a cama. A consequência disso seria o restante do dia bom, organizado e produtivo. Afinal, se você tem uma atitude de atenção em relação a algo tão simples, como arrumar a cama, tudo pode entrar em equilíbrio. 

A ideia da saúde ser uma combinação entre físico, mental e social significa que, se você cuidar de uma, as outras dimensões entram em harmonia também. 

Desse modo, enquanto buscamos proteger o que seria nossa prioridade: o corpo e a saúde física, percebemos que manter a mente tranquila traz qualidade de vida e mantém a imunidade alta. 

Por outro lado, o renomado estudioso, Dr. Harold Koenig, explicou que a vivência religiosa e a espiritualidade reduzem o estresse psicológico, diminuindo a inflamação e a taxa de encurtamento dos telômeros nas células. Ou seja, quanto mais os telômeros nas células se encurtam, vai ocorrendo a degeneração dos órgãos. 

A espiritualidade reduz o estresse que causa a dor, portanto, as pessoas com uma vida religiosa tendem a ser mais esperançosas e otimistas. 

Esses dois exemplos nos mostram o quanto uma coisa está conectada à outra. Então, da mesma forma que quando algo vai bem o resto acompanha, o oposto também acontece.

Por exemplo, quando um sacerdote não está bem mentalmente, ele se afasta da sua vivência com Deus, perde as esperanças e se sente desanimado. Logo, prejudica sua saúde física e emocional. O contrário também acontece, a saúde mental é afetada primeiro e em seguida, a espiritual.

É muito importante que a sua saúde esteja fortalecida para enfrentar as dificuldades do dia a dia com resiliência e tranquilidade. Temos alguns conselhos que podem te ajudar a entender como fortalecer sua saúde. 

Dicas práticas para o seu dia a dia 

Duas ações essenciais para fortalecer sua saúde são: atividade física e uma boa noite de sono. O exercício físico libera hormônios, como a endorfina, uma substância que promove a alegria. Por sua vez, o sono regulado é responsável por fazer com que você descanse o corpo, pense melhor e tome decisões mais assertivas. 

Também priorize seus momentos de descanso. Sabemos que uma vida em comunidade é exigente, mas respeite os momentos livres que você tem para descansar e fazer coisas que lhe dão prazer, como ler um livro ou passar um tempo com Deus. 

Lembre-se também da sua humanidade. O único capaz de ser perfeito é Deus. Nós somos seres limitados e precisamos aceitar isso. Quando tiramos de nós a pressão que é vencer o mundo em 24h, a nossa saúde mental e emocional tem a oportunidade de se revitalizar. 

Procure ajuda médica e profissional, seja de médicos especialistas, psicólogos ou professores de educação física. Também mantenha amizade com pessoas que possam te dar apoio e te ouvir!

Porém, acima de tudo, seja paciente, pois como mencionado no início do artigo, fortalecer e cuidar da saúde demanda cuidado e atenção. Seja persistente. 

Coloque em prática essas dicas e medite sobre o assunto, respeite seu tempo e não tenha vergonha de procurar ajuda! 

Compartilhe esse texto com seus amigos para que mais pessoas conheçam a importância e como fortalecer a sua saúde mental, física, emocional e espiritual. Além disso, te convido para acompanhar o nosso site, onde publicamos conteúdos de aprofundamento na saúde e na espiritualidade.